Triunfo diz ter antecipado início de obras em nova rodovia

terça-feira, 6 de maio de 2014 12:40 BRT
 

SÃO PAULO, 6 Mai (Reuters) - A Triunfo antecipou em cerca de um mês o início das obras do trecho rodoviário entre Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais (BRs 060-153-262), cuja concessão obteve após vencer leilão no fim do ano passado, segundo seu presidente.

Em teleconferência com analistas, Carlo Bottarelli afirmou que, com isso, a empresa conseguiu aproveitar mais o tempo seco e poderá ser beneficiada com uma antecipação do início da cobrança de pedágios.

"Conseguimos a licença ambiental para os primeiros 16,5 quilômetros no dia 30 de abril, e no dia 2 (de maio) começaram as obras da Concebra. Estamos iniciando com um mês adiantado, o que deve nos favorecer", disse o executivo em referência a concessionária criada pela empresa para administrar o trecho.

Pelas regras do governo federal, as empresas que conseguiram as concessões nos leilões feitos em 2013 só podem iniciar a cobrança de pedágio após a conclusão de 10 por cento das obras de duplicação dos trechos.

Questionado sobre os investimentos no aeroporto de Viracopos (SP), cuja concessão a empresa obteve após leilão em fevereiro de 2012, Bottarelli afirmou apenas que "está em linha com o programado".

A empresa divulgou na noite da véspera que teve forte alta no lucro líquido do primeiro trimestre, que subiu 760,7 por cento graças ao bom desempenho dos segmentos de rodovias e geração de energia.

A empresa foi beneficiada no período com a decisão de antecipar o início da operação da Rio Canoas, capturando assim o momento de alta nos preços de curto prazo de energia, em meio aos baixos níveis de reservatórios e maior acionamento de termelétricas.

A Triunfo afirmou que, como a garantia física anual da Rio Canoas estava descontratada e foi, em grande parte, vendida no primeiro trimestre, houve concentração da receita anual do segmento no período encerrado em março.

Ainda assim, Bottarelli afirmou que a empresa não está exposta à variação de preços de curto prazo no restante do ano.

"Fizemos uma sazonalização. Ainda temos reserva técnica caso tenha ajuste na energia assegurada. Não tem exposição", disse.

(Por Roberta Vilas Boas)