Kroton e Anhanguera mudam relação de troca de ações para fusão

quarta-feira, 7 de maio de 2014 10:53 BRT
 

SÃO PAULO, 7 Mai (Reuters) - Kroton e Anhanguera, que tentam formar a maior empresa de educação privada do Brasil e uma das maiores do mundo, anunciaram nesta quarta-feira mudança de relação de troca proposta para união das companhias, reduzindo o valor atribuído à Anhanguera na operação.

Segundo fato relevante de ambas as companhias, a nova relação de troca negociada é de 0,30970293 ação da Kroton por 1 ação da Anhanguera. Quando anunciaram o plano de fusão, em abril de 2013, a relação de troca apresentada era de 1,36428904 ação da Kroton por papel da Anhanguera.

Já havia rumores de que a relação de troca seria modificada, diante da diferença expressiva no desempenho das ações das empresas desde abril do ano passado.

Enquanto as ações da Kroton subiram mais de 100 por cento no período, as da Anhanguera avançaram cerca de 25 por cento da véspera do anúncio da proposta de união até o fechamento de 6 de maio deste ano.

Mesmo assim, em 28 de fevereiro último Kroton e Anhanguera negaram negociação para modificar os termos da associação. Na ocasião, as companhias afirmaram que estavam mantidas e que não havia "nenhuma previsão no acordo de ajuste de relação de troca em decorrência da variação na cotação em bolsa das ações das companhias após a data de assinatura do acordo".

Apesar da piora na nova relação de troca para os acionistas da Anhanguera, ela parece ter vindo melhor do que se antevia. As ações da Anhanguera disparavam mais de 7 por cento na bolsa, para 15,24 reais, às 10h45, enquanto as da Kroton avançavam mais de 3 por cento, para 53,25 reais. O Ibovespa operava em leve queda de 0,35 por cento.

Com base nos preços de fechamento da terça-feira, quando a ação da Kroton terminou valendo 51,40 reais, cada papel da Anhanguera valeria, pela nova relação de troca, perto de 16 reais, que se compara aos 14,20 reais no mercado à vista no fim da última sessão na bolsa.

No fato relevante desta manhã, as empresas também informaram ter concordado que a Kroton distribua aos seus acionistas até 100 por cento do lucro líquido até o primeiro trimestre de 2014, limitado ao valor de 483 milhões de reais.

Com a nova relação de troca, após a união das empresas, os atuais acionistas da Anhanguera terão 33,5 por cento da companhia combinada, enquanto os sócios da Kroton ficarão 66,5 por cento do capital total. Pelo plano original, os percentuais para cada lado eram de 42,52 e de 57,48 por cento, respectivamente.

No aditivo ao acordo as empresas concordaram ainda que não farão qualquer oferta de aquisição hostil à outra companhia ou aos seus acionistas pelo prazo de três anos. Elas reafirmaram que continuam buscando solução negociada para ter aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) à união das empresas.

(Por Cesar Bianconi)