May 8, 2014 / 8:16 PM / 3 years ago

Dólar cai pela 3ª vez seguida, mas não consegue romper R$2,20

4 Min, DE LEITURA

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 8 Mai (Reuters) - O dólar fechou em queda nesta quinta-feira pelo terceiro dia seguido, em linha com o exterior, após flertar diversas vezes com o patamar de 2,20 reais durante a sessão, considerado um piso informal.

A moeda norte-americana recuou 0,17 por cento, a 2,2144 reais na venda, após chegar a 2,2004 reais na mínima da sessão. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,1 bilhão de dólares.

"O movimento de hoje mostra que o mercado está colocando um peso muito forte no nível de 2,20 reais. Provavelmente vamos testar essa cotação outras vezes, mas não acredito que a gente consiga furar", afirmou o economista da Lerosa Investimentos Carlos Vieira. "Tem muita gente que acha que o BC não quer (dólar abaixo de 2,20 reais) e corre para comprar dólar quando isso acontece", acrescentou.

A avaliação geral é de que o dólar a esse nível, apesar de ajudar o combate à inflação, atrapalha a indústria via exportações.

Essa tese ganhou força principalmente quando recentemente o BC deixou vencer alguns swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, pouco após a moeda norte-americana ter ido abaixo dos 2,20 reais. Agora, cortou pela metade a oferta de contratos na rolagem.

Analistas afirmam que o atual o momento de liquidez mais abundante no mercado brasileiro abre espaço para a autoridade monetária reduzir o ímpeto das intervenções.

Nesta quinta-feira, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, afirmou que o programa de swap cambial tem dado os resultados esperados e vigorará até 30 de junho, sem acrescentar mais detalhes.

A autoridade monetária vendeu nesta manhã a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, nas atuações diárias. Desta vez, todos os novos contratos vendidos vencem em 2 de março do próximo ano, com volume equivalente a 198,5 milhões de dólares. O BC também ofertou swaps para 1º de dezembro deste ano, mas não vendeu nenhum.

No fim da manhã, vendeu também a oferta total de até 5 mil swaps no leilão de rolagem. Até agora, o BC já rolou cerca de 10 por cento do lote que vence no próximo mês, equivalente a 9,653 bilhões de dólares.

Após o fechamento, a autoridade monetária anunciou para sexta-feira a realização da oferta diária com até 4 mil contratos de swap para 1º de dezembro deste ano e 2 de março do ano que vem. E divulgou também o leilão de até 5 mil papéis para 1º de abril e 1º de julho de 2015 com objetivo de rolar swaps que vencem em 2 de junho.

O crescente otimismo em relação ao impasse político sobre a Ucrânia e a percepção de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, deve continuar reduzindo gradualmente suas medidas de estímulo econômico continua a atrair investidores a ativos de risco, como moedas de países emergentes.

Por outro lado, a moeda norte-americana avançou contra o euro após o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, sinalizar que o BCE pode agir para combater a queda da inflação na reunião de junho.

"O dia está mais positivo para os emergentes lá fora. Aqui, o pessoal só não puxa muito porque o BC está de olho", disse o operador de câmbio da corretora Intercam Glauber Romano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below