PRÉVIA -Leilão de transmissão não deve trazer surpresas entre competidores

quinta-feira, 8 de maio de 2014 19:06 BRT
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO, 8 Mai (Reuters) - O leilão de transmissão que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza na sexta-feira irá licitar lotes mais focados para reforçar o atendimento das regiões em que se situam, e tende a atrair companhias que já têm alguma atuação nesses locais.

Eletrobras, Copel, Alupar, Taesa e as espanholas Elecnor, Abengoa e Isolux são os grupos apontados como inscritos para a disputa, segundo fontes.

O leilão, que começa às 10h na BM&FBovespa, em São Paulo, terá 13 lotes de empreendimentos, compostos por 24 linhas e 18 subestações, em 11 Estados do país: Pará, Amazonas, São Paulo, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, Maranhão e Paraná.

Os empreendimentos que serão construídos demandarão investimentos totais de 4,3 bilhões de reais.

Os sistemas de transmissão, que terão que ser erguidos entre 24 e 43 meses, somam receita anual permitida (RAP) máxima de cerca de 519 milhões de reais, segundo dados da Aneel. Vence cada lote do leilão o proponente que oferecer o maior desconto em relação à RAP máxima estabelecida.

Os empreendimentos a serem licitados no leilão são mais voltados para atender o crescimento de carga de energia, segundo o diretor-executivo da Associação Brasileira das Grandes Empresas de Transmissão de Energia Elétrica (Abrate), César de Barros Pinto.

"Predominam linhas locais. Não tem nenhum grande sistema novo entrando", disse ele, ao acrescentar que essas características tendem a atrair competidores já estabelecidos na região de cada lote, pela oportunidade de obter ganho de escala.

O leilão será o primeiro de transmissão tradicional neste ano --sem considerar o leilão do sistema de Belo Monte--, após alterações realizadas pela Aneel, no fim do ano passado, nos métodos de cálculo de retorno sobre o investimento e preço-teto.   Continuação...