IPCA sobe 0,67% em abril, abaixo do esperado, com alimentos e transporte

sexta-feira, 9 de maio de 2014 11:41 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 9 Mai (Reuters) - O alívio nos preços de alimentos e transportes ajudou a inflação oficial do país a desacelerar a alta a 0,67 por cento em abril, melhor que o esperado, evitando aproximação ainda mais forte do teto da meta de inflação do governo e pavimentando o caminho para o Banco Central parar de elevar a Selic já neste mês.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) atingiu em 12 meses até abril 6,28 por cento, ante 6,15 por cento em março, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

A meta é de 4,5 por cento, com margem de dois pontos percentuais para mais ou menos. Em março, o indicador havia subido 0,92 por cento.

Os dados ficaram abaixo das expectativas em pesquisa da Reuters, cujas medianas apontavam alta de 0,80 por cento na comparação mensal e de 6,42 por cento na base anual.

Ainda assim, o cenário continua sendo de pressão de preços. O resultado mensal foi o maior para abril desde 2011 (0,77 por cento) enquanto o acumulado em 12 meses representou o maior nível desde junho de 2013 (6,70 por cento).

O índice de difusão dos preços continua alto. Segundo cálculos do Banco Fator, ele caiu apenas 1 ponto percentual, a 70 por cento em abril.

"O quadro como um todo ainda é muito delicado. O risco do estouro do teto está muito presente ainda, apesar desse resultado melhor", avaliou a economista da Tendências Consultoria Alessandra Ribeiro, para quem o IPCA em 12 meses vai a 6,86 por cento em junho com a Copa do Mundo e permanece acima do teto da meta até novembro, encerrando o ano a 6,3 por cento.

ADMINISTRADOS   Continuação...