Parte das obras de novo terminal de aeroporto de Viracopos é suspensa

sexta-feira, 9 de maio de 2014 18:55 BRT
 

Por Roberta Vilas Boas e Leonardo Goy

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - Os trabalhos envolvendo atividades em altura e movimentação de cargas suspensas nas obras de ampliação do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), foram suspensas, informou o Ministério Público do Trabalho (MPT) nesta sexta-feira.

A suspensão vale para as áreas de construção do píer A, píer B e o novo terminal de passageiros. O MPT, juntamente com o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Campinas apontaram risco de acidentes devido à "confusão" no canteiro de obras.

A concessionária de Viracopos tem entre seus acionistas a Triunfo, UTC Participações, a francesa Egis Airport Operation e a Infraero.

Segundo o MPT, uma fiscalização do Cerest com acompanhamento de quatro procuradores do órgão vai juntar as informações ao inquérito que investiga a conduta trabalhista do consórcio construtor.

O Consórcio Construtor de Viracopos (CCV), responsável pelas obras, afirmou que cumpre todas as normas exigidas pelas leis de segurança do trabalho e que todas as adequações necessárias serão imediatamente efetuadas.

O MPT afirma ter verificado caminhões realizando manobras a centímetros de distância de plataformas com trabalhadores suspensos, e materiais pesados movimentados indiscriminadamente sobre as cabeças dos operários, sem medidas de precaução ou isolamento da área, em grave e iminente risco de acidentes.

Segundo o órgão, dois trabalhadores no canteiro de ampliação do terminal morreram desde o início das obras. Um deles foi soterrado e outro morreu após uma queda.

"Percebemos que eles estão correndo contra o tempo, e estão executando diversos processos simultaneamente de forma desorganizada. Isso potencializa muito o risco de acidentes", afirmou o procurador Mário Antonio Gomes.   Continuação...