ENTREVISTA-Duas operadoras estrangeiras têm interesse em leilão 4G no Brasil

sexta-feira, 9 de maio de 2014 17:47 BRT
 

Por Luciana Bruno

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Ao menos duas operadoras de telecomunicações sem atuação no Brasil já manifestaram interesse em participar do leilão de 4G na frequência de 700 MHz previsto para agosto, disse à Reuters o secretário de telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão.

O ministério programou para a segunda quinzena de junho apresentações para atrair novos grupos para o leilão. A pasta deve promover reuniões em Londres e Nova York, ainda sem data definida. Existe ainda a possibilidade de novas rodadas de apresentações em outros locais, disse o secretário.

"Já existem duas empresas que manifestaram interesse", afirmou o secretário, sem citar nomes ou países por, segundo ele, tratar-se de companhias com ações listadas em bolsa. As reuniões serão realizadas por representantes do ministério, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e do Ministério de Relações Exteriores.

A previsão do governo federal é que o leilão de 4G na frequência 700 MHz arrecade ao menos 7 bilhões a 8 bilhões de reais. Os vencedores do certame terão de arcar com indenizações a serem pagas aos radiodifusores que atualmente ocupam a faixa com a TV analógica o que, segundo o secretário, não será um problema para atrair operadoras.

"Esse leilão é uma oportunidade única no Brasil, com uma quantidade significativa de radiofrequencias, possibilidade de licença nacional em uma faixa de frequência baixa, o que diminui o custo do investimento necessário para implementação", disse o secretário.

Segundo Martinhão, o forte crescimento do mercado brasileiro de mobilidade, particularmente da banda larga móvel, torna o país atrativo para grupos internacionais. Ele admite que a chegada de mais uma empresa -- além das quatro maiores operadoras com atuação no Brasil, Vivo, TIM, Oi e Claro -- pode elevar as ofertas pelos espectros.

"É um leilão, sempre quando há uma disputa maior, isso (aumento das ofertas) pode ser consequência do processo. Mas o limite do preço é a capacidade do mercado brasileiro em comportar o investimento", declarou.

No início de março, fonte do governo federal com conhecimento do assunto afirmou à Reuters que o Tesouro Nacional pediu para a Anatel pensar em maneiras para aumentar a arrecadação com o leilão 4G.   Continuação...