Petrobras inicia produção em poço no pré-sal; reafirma meta para 2014

sexta-feira, 9 de maio de 2014 20:12 BRT
 

SÃO PAULO, 9 Mai (Reuters) - A Petrobras iniciou nesta sexta-feira a produção em um novo poço do campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos, colocando a FPSO Cidade de Paraty no caminho para atingir a capacidade plena de 120 mil barris por dia (bpd) no terceiro trimestre deste ano.

O poço 7-LL-22D-RJS, com potencial de produção de 26 mil bpd, foi conectado à unidade Cidade de Paraty por um sistema pioneiro nesse campo, utilizando uma boia submersa, disse a Petrobras em comunicado na noite de desta sexta-feira.

A FPSO Cidade de Paraty, uma unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo, entrou em operação em junho de 2013.

Ao longo de longo de 2014 serão interligados mais seis poços à unidade, quatro produtores e dois injetores, todos por meio de boias submersas.

Também nesta sexta-feira, começaram os procedimentos de partida do primeiro poço da plataforma P-62, no campo de Roncador, disse a Petrobras em seu relatório de resultados do primeiro trimestre.

"Temos confiança no alcance da meta de crescimento de produção de 7,5 por cento" em 2014, reafirmou a presidente da empresa, Maria das Graças Foster, em carta aos acionistas, destacando uma margem de 1 ponto percentual para mais ou para menos nessa estimativa.

A executiva destacou também que a plataforma P-61/TAD, no campo de Papa-Terra e da FPSO Cidade de Ilhabela, no campo de Sapinhoá Norte, entrarão em operação no terceiro trimestre deste ano. No quarto trimestre, a FPSO Cidade de Mangaratiba começará a produção no campo de Iracema Sul, estimou ela.

Apesar dos esforços da empresa para elevar a produção, os resultados ainda não foram percebidos nos primeiros três meses do ano.

A produção de petróleo no Brasil recuou 2 por cento ante o quarto trimestre de 2013, para 1,922 milhão de bpd, devido à desmobilização da FPSO-Brasil (Roncador), à parada da plataforma P-20, em Marlim, e ao término da participação da Petrobras na parceria com a Shell para produção no Parque das Conchas, com o FPSO-Espírito Santo.

A estatal fechou 2013 com queda de 2,5 por cento no volume de produção de petróleo, com média de 1,93 milhão de bpd, em sua segunda queda anual consecutiva.

(Por Gustavo Bonato; Edição de Roberto Samora)