Pfizer se defende de críticas enquanto avalia sobre aquisição da AstraZeneca

sábado, 10 de maio de 2014 14:04 BRT
 

LONDRES, 10 Mai (Reuters) - A farmacêutica norte-americana Pfizer se defendeu neste sábado das críticas de que sua planejada aquisição da rival AstraZeneca prejudicaria as bases científicas da Grã-Bretanha, dizendo que a solidez das pesquisas do Reino Unido são uma das principais razões para o negócio.

Dado o seu histórico de grandes cortes de empregos em aquisições anteriores, o grupo dos EUA tem sido criticado na Grã-Bretanha, Estados Unidos e Suécia, enquanto avalia seu próximo passo para comprar a AstraZeneca, o que poderia ocorrer com uma oferta na próxima semana.

O presidente-executivo, Ian Read, que deve comparecer em dois painéis de legisladores britânicos, nos dias 13 e 14 de maio, disse em um vídeo que o negócio 106 bilhões de dólares seria uma situação de "ganha-ganha" para acionistas e a sociedade, e que a fusão das duas empresas de pesquisa seria "fácil".

O acordo sugerido seria a maior aquisição estrangeira de uma empresa do Reino Unido e provocou uma tempestade política na Grã-Bretanha, com o governo buscando compromissos vinculativos para proteger postos de trabalho qualificados e pesquisa científica.

(Reportagem Ben Hirschler)