Equatorial vê solução mista para distribuidoras de energia

segunda-feira, 12 de maio de 2014 15:53 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Equatorial Energia acredita em uma solução mista para equacionar a situação das distribuidoras de eletricidade neste ano, que apesar de terem reduzido fortemente a exposição no mercado de curto prazo com o leilão A-0 ainda teriam altos gastos diante da energia cara.

"A solução foi quase definitiva com o leilão A-0, do final de abril... acho que daqui para frente vai se trabalhar com solução mista", disse o diretor financeiro da Equatorial Energia, Eduardo Haiama, em teleconferência de resultados nesta segunda-feira. A Equatorial Energia controla as distribuidoras Celpa (PA) e Cemar (MA).

Ao falar em soluções, ele mencionou empréstimo da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e reajustes tarifários.

As distribuidoras, que tinham uma exposição ao mercado de energia de curto prazo de cerca de 3,3 gigawatts (GW) médios no início do ano, conseguiram reduzi-la a 354 MW médios. Mas essa exposição ainda resultaria em gastos de cerca de 1 bilhão de reais até o fim do ano, sem contar outros custos das empresas relacionados à diferença entre o preço de energia praticado na tarifa atualmente e o valor da energia contratada no leilão A-0, entre outros.

REDUÇÃO DE PERDAS

A Equatorial Energia, que teve lucro líquido de 15 milhões de reais no primeiro trimestre, ante prejuízo de 25 milhões um ano antes, reduziu as perdas de energia totais na Celpa nos primeiros três meses do ano, em 1,3 ponto percentual, ante o quarto trimestre de 2013.

Apesar da redução, ocorrida após passar por um processo de recuperação judicial e ter sido comprada do Grupo Rede Energia, a Celpa ainda encerrou o trimestre com cerca 34 por cento de perdas de energia, e Haiama disse que a empresa pretende manter um forte ritmo de combate às perdas.

O executivo evitou dar uma meta de redução trimestral, mas disse que um pouco menos que um ponto percentual de diminuição por trimestre seria um nível razoável.

(Por Anna Flávia Rochas)