Executivo da Norse alerta para risco da politização do pré-sal

quinta-feira, 28 de agosto de 2008 17:30 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente da norueguesa Norse Energy, Kjetil Solbreakke, disse nessa quinta -feira que o pré-sal é uma grande oportunidade para o Brasil dar um salto de qualidade, mas destacou que uma politização do debate sobre mudanças no marco regulatório pode destruir a chance de um desenvolvimento sustentado nos próximos anos.

"Espero que essa discussão política, que entendo ser muito importante, não destrua essa oportunidade que o país tem. Nunca vi oportunidade para que um país desse um passo tão grande", afirmou o executivo em entrevista a jornalistas após evento no Rio de Janeiro.

O executivo estima que o pré-sal brasileiro tenha reservas maiores do que as do Golfo do México e disse que há três anos já fazia projeções otimistas para as reservas brasileiras

"Não há dúvidas que a produção offshore (no mar) brasileira vai ser mais importante que a do Golfo do México", afirmou.

Solbreakke defendeu o atual marco regulatório para a exploração no pré-sal, ao lembrar que regra brasileira é similar à da Noruega.

"Lá há uma diversidade de empresas e o Estado controla uma empresa estatal", afirmou Solbreakke ao destacar que na Noruega também se adota do regime de concessão de blocos, sendo que a Petoro, estatal do país, controla despesas e receitas extraordinárias.

"Qualquer mudança não seria na direção do sistema norueguês, que é algo que já existe no Brasil", explicou.

O Brasil pratica o modelo de concessão, como na Noruega, e estuda criar uma estatal aos moldes da Petoro. A decisão porém ainda está sendo avaliada por uma comissão interministerial.

A Norse Energy está no Brasil desde 1999 e projeta que os investimentos no país poderão superar 1 bilhão de dólares entre 2009 e 2014.   Continuação...