10 de Março de 2008 / às 22:05 / em 10 anos

Governo já decidiu por construção de 2 usinas com vizinhos

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 10 de março (Reuters) - O Ministro de Minas e Energia, Édson lobão, afirmou nesta segunda-feira que o governo já tomou a decisão política de construir duas usinas hidrelétricas nas fronteiras com Argentina e Bolívia.

Segundo ele, ainda esse mês ministros dos três países vão se reunir para discutir o tema. O projeto inicial prevê que as duas usinas tenham capacidade de 12 mil megawatts.

“A decisão política já foi tomada... vamos fazer o levantamento para saber quando elas vão ser construídas”, afirmou Lobão após participar da cerimônia de posse do novo presidente da Eletrobrás, José Antonio Muniz Lopes.

Lobão e Lopes garantiram que as empresas do sitema Eletrobrás não vão participar do leilão da Cesp programdo para esse mês. Eles disseram que a prioridade da Eletrobrás será investir em novos projetos de energia e descartaram os comentários sobre uma possível reestatização do setor elétrico brasileiro.

“O sistema Eletrobrás não o fará, mas estamos interessados em carga nova”, disse Lobão em discurso, ao frisar que as controladas do grupo manterão a estratégia em futuros leilões de entrar como minoritários em parceria com empresas privadas.

O ministro de Minas e Energia afirmou ainda que o governo vai evitar ao máximo o repasse da alta do petróleo para o mercado interno.

“Estamos segurando desde 2005. Haveremos de conseguir segurar por mais algum tempo... Tudo quanto o governo puder fazer para não impactar o bolso do consumidor, o fará”.

PLANOS PARA A ELETROBRÁS

O novo presidente da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes, disse na sua posse que pretende pulverizar o capital do grupo para permitir o acesso de acionistas minoritários.

A mesma promessa já tinha sido feita pelo o ex-presidente da estatal, Aloísio Vasconcellos.

“Na reunião de maio o conselho de administração vai deliberar sobre isso”, afirmou.

Outro plano da estatal é lançar ADRs de nível 2 na bolsa de Nova York.

“A determinação do presidente da República é que a Eletrobrás seja um player do setor tal qual a Petrobras. Temos uma série de amarras para poder chegar a esse patamar”, declarou o executivo, lembrando que a MP 396, que pode ser votada na terça-feira, trata desse projeto de modernização da estatal.

Edição de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below