Processos na Justiça dobraram nesta eleição, diz TSE

domingo, 26 de outubro de 2008 17:33 BRST
 

BRASÍLIA, 26 de outubro (Reuters) - A disputa eleitoral no Brasil está judicializada, afirmou no domingo o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto.

Segundo o ministro, ao final das eleições municipais, a Justiça Eleitoral julgará 6 mil processos de impugnação de candidaturas -- o dobro do verificado no pleito de 2004. Até agora, a Corte já analisou cerca de 4 mil casos. Ayres Britto disse acreditar que os demais serão julgados até as diplomações dos candidatos, que serão marcadas pelos tribunais regionais eleitorais até o dia 18 de dezembro.

"Antes disso esperamos dar conta do recado", comentou o ministro em entrevista a jornalistas, explicando que o tribunal está trabalhando em regime de mutirão.

Para o presidente do TSE, o aumento das disputas judiciais nas eleições é sinal de que as pessoas estão resolvendo suas diferenças de modo "civilizado" e "confiam na Justiça Eleitoral."

"Há superávits de democracia a cada eleição", destacou.

Apesar da avaliação positiva do ministro, novos casos policiais aconteceram neste segundo turno. Até agora, o TSE registrou 381 ocorrências. Três delas envolveram candidatos, mas nenhum deles foi preso. Ao todo, 291 pessoas foram detidas -- a maioria por boca de urna.

No primeiro turno, realizado no dia 5, a Justiça Eleitoral registrou 4.787 ocorrências. Foram presos 214 candidatos e 2.526 não candidatos.

Já o número de urnas eletrônicas substituídas neste domingo foi de 395, 0,5 por cento do total. No Rio de Janeiro, no bairro do Jardim Botânico, uma urna de papel teve de ser usada, o que impediu que esta fosse a primeira vez na história do país em que todos os votos de um dos turnos fossem computados de forma eletrônica.

No primeiro turno, 2.540 urnas eletrônicas foram trocadas, o que representou 0,6 por cento do total.   Continuação...