Renan se compara a coco em palmeira e diz que só sai arrancado

quarta-feira, 10 de outubro de 2007 19:12 BRT
 

Por Natuza Nery

BRASÍLIA (Reuters) - O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) recorreu a metáforas para mostrar que apesar das pressões não está disposto a se licenciar do cargo para pôr fim à crise que ameaça a aprovação da CPMF. A colegas de função, comparou-se a um coco para ilustrar sua disposição em ficar.

"Rapaz, para tirar o coco, não basta balançar o pé que ele não cai. Quem quiser, vai ter que subir no pé e retirar o coco com as próprias mãos", disse o presidente do Congresso a senadores aliados que estiveram com ele noite passada, horas depois de enfrentar a mais ampla reação em plenário desde o início da crise.

Renan Calheiros está no centro da crise há cinco meses. Ele está incomodado com as recentes deserções, mas, independentemente das baixas, não se mostra disposto a sair.

A interlocutores, diz estar convencido de que a oposição e o PT querem o seu cargo. Se pedir uma licença de 120 dias, como prevê o regimento, dá como certa a traição.

"Não tem espaço para a licença", disse Renan à Reuters nesta tarde.

O senador Tião Viana (PT-AC), primeiro vice-presidente da Casa, assumiria a vaga caso Renan se afastasse.

Renan Calheiros não conversa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde a quinta-feira passada, mas faz elogios ao comportamento do presidente.

"Ele tem sido correto comigo", assegurou.   Continuação...

 
<p>O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) recorreu a met&aacute;foras para mostrar que apesar das press&otilde;es n&atilde;o est&aacute; disposto a se licenciar do cargo para p&ocirc;r fim &agrave; crise que amea&ccedil;a a aprova&ccedil;&atilde;o da CPMF. A colegas de fun&ccedil;&atilde;o, comparou-se a um coco para ilustrar sua disposi&ccedil;&atilde;o em ficar. Foto em Bras&iacute;lia, 9 de outubro. Photo by Jamil Bittar</p>