29 de Novembro de 2007 / às 01:29 / 10 anos atrás

Lula diz ter "aptidões socialistas", mas se diferencia de Chávez

SÃO PAULO (Reuters) - Sempre arredio em declarar sua ideologia política, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira se considerar um político com "aptidões socialistas". Ele rechaçou, no entanto, que o socialismo seja aplicado por meio do uso da força e procurou se diferenciar das práticas empregadas pelo presidente venezuelano Hugo Chávez.

"Eu acho muito ruim a gente ficar com carimbo na testa do que a gente é", ponderou Lula em entrevista ao SBT Brasil transmitida ao vivo.

"Eu poderia dizer que me considero um homem com aptidões socialistas muito fortes. Agora, esse socialismo é um projeto de uma conquista da sociedade e não uma imposição de um governo. Não é possível fazer um socialismo por decreto, por medida provisória", afirmou.

Nos anos 1980, quando disputou o governo de São Paulo pelo PT, Lula fugiu à mesma questão dizendo que era torneiro mecânico, sua profissão.

Quando questionado sobre se a Venezuela seria um exemplo de imposição do socialismo, Lula disse que respeita a soberania do país.

"A Venezuela tem uma historia muito singular, é importante a gente conhecer o que era a Venezuela antes e agora. A Venezuela está conquistando uma cidadania. Se nós temos críticas ao processo democrático, ao comportamento do Chávez, é uma outra questão, o que eu respeito é a soberania de cada país decidir o que é melhor para ele", disse.

Ele ponderou que os venezuelanos terão em dezembro um referendo sobre mudanças constitucionais, entre elas a reeleição ilimitada do presidente, que deverá resultar em um processo democrático.

O presidente disse ainda que não está preocupado com a recente compra de armamento pela Venezuela e sim com a deterioração do sistema de defesa brasileiro.

"O problema não é a Venezuela estar se armando. O grande problema é o Brasil, que nos últimos 30 anos permitiu que o nosso sistema de defesa se deteriorasse. Nós tínhamos indústrias de defesa que foram sucateadas. Nós agora estamos tentando recuperar", ponderou ao jornal da Rede TV, para o qual também concedeu entrevista.

PFL x CPMF

Lula disse estar confiante na aprovação da prorrogação da CPMF pelo Senado e afirmou que os opositores à medida são o partido Democratas, que chamou pelo antigo nome de PFL, e os sonegadores de impostos.

"O PFL tem toda a razão de estar radicalizado, é um partido sem perspectiva de poder, tem apenas um governador, do Distrito Federal, que é favorável à CPMF e tem sido parceiro importante do governo federal", disse à Rede TV.

Já o PSDB, acredita, tem perspectiva de poder ("é o partido que mais tem candidatos à Presidência da República") e seus atuais governadores defendem a medida, o que levaria o partido a refletir e optar pela aprovação da CPMF.

Ele negou que o governo tenha liberado recursos das emendas dos parlamentares com vistas à votação do imposto, mas ao mesmo tempo disse que não é crime nem é proibido liberá-las. (Por Carmen Munari)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below