Sarkozy discute reformas de 2008 com sindicatos e patrões

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007 19:23 BRST
 

Por François Murphy

PARIS, 19 de dezembro (Reuters) - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, adotou um tom conciliador com os sindicatos e pressionou os patrões durante uma reunião na quarta-feira, dizendo que está dispostos a discutir mais sobre a reforma trabalhista, mas que as empresas precisam transferir mais lucros a seus funcionários.

Sarkozy, eleito sob o slogan "trabalhar mais para ganhar mais", promete reformas econômicas e sociais, o que inclui uma flexibilização das leis trabalhistas e o fim de privilégios previdenciários para determinados funcionários públicos, o que irrita os sindicatos.

Na quarta-feira, governo, patrões e sindicatos discutiram outras medidas polêmicas, como as reformas do mercado trabalhista e o treinamento profissionalizante. Mas Sarkozy evitou as questões mais complicadas, como a reforma previdenciária.

"O ritmo da mudança nem sempre é compatível com o do diálogo social", disse Sarkozy em discurso preparado para ser lido no encontro a portas fechadas.

Sarkozy precisa ter cuidado para não abandonar suas promessas reformistas, mas sem provocar as greves generalizadas que impediram reformas no passado.

O governo havia dado aos sindicatos e patrões até o fim do ano para concluíram suas negociações sobre a reforma trabalhista, mas Sarkozy anunciou que o prazo seria prorrogado até meados de janeiro. Ele não deu detalhes sobre as medidas planejadas.

(Reportagem adicional de Kerstin Gehmlich)