Em Porto Alegre, candidatos usam programa para apresentar perfis

quarta-feira, 20 de agosto de 2008 15:14 BRT
 

PORTO ALEGRE (Reuters) - Sem recurso a padrinhos políticos ou ataques, o primeiro programa no horário eleitoral gratuito dos candidatos à prefeitura de Porto Alegre foi dedicado a apresentar perfis e trajetórias pessoais.

O programa foi aberto pela coligação "Porto Alegre é Mais" (PCdoB/PPS/PR/PMN/PSB/PTN/PTdoB) da candidata Manuela D'Ávilla (PCdoB) e a maior parte do tempo foi utilizado com um depoimento da candidata. Manuela falou em respeito aos adversários, diálogo, ética, respeito a diferenças e atitude na gestão.

"Avançar é procurar soluções novas para antigos problemas", disse a candidata.

A Frente Popular (PT/PRB/PTC/PSL) investiu na trajetória da candidata Maria do Rosário (PT). Em depoimento em ambiente familiar, a candidata falou de sua chegada à cidade, aos seis anos, até suas atividades como professora e política, defendendo a necessidade de um administrador "ter posição" e ousadia na gestão.

"(É preciso) Saber ouvir, mas também ter capacidade de executar. Quero ser a executiva da cidade", disse Rosário.

Luciana Genro (PSOL), da coligação Sol e Verde, com o PV, reafirmou a proposta de cortar gastos com cargos em comissão e propaganda e apresentou um depoimento da mãe sobre sua vocação para a política. Luciana foi a única a criticar os partidos adversários.

"Por que os partidos não fazem o que prometem", indagou.

Onyx Lorenzoni (DEM/PP) também apresentou sua trajetória familiar e profissional para justificar que conta com um "acúmulo de experiências" que o capacita a ser prefeito.

Já a coligação do atual prefeito e candidato à reeleição José Fogaça (PMDB/PDT/PTB/PSDC) investiu em um formato de programa de entrevistas com participação de eleitores de várias regiões da cidade. Respondendo a perguntas, Fogaça (PMDB) defendeu as realizações da atual gestão e a necessidade da continuidade dos projetos em andamento.   Continuação...