Presidente do Senado italiano tentará governo interino

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 17:32 BRST
 

Por Stephen Brown e Gavin Jones

ROMA (Reuters) - O presidente do Senado italiano, Franco Marini, concordou na quarta-feira em tentar formar um governo interino destinado a reformar as leis eleitorais, consideradas responsáveis pela queda na semana passada do 61o governo do país desde a Segunda Guerra Mundial.

Mas Marini, indicado pelo presidente Giorgio Napolitano para a tarefa, precisará superar a resistência do líder da oposição e ex-premiê Silvio Berlusconi, que quer eleições imediatas.

"Vou concentrar meus esforços em tentar fazer isso o mais rápido possível", disse Marini, de 74 anos, que precisará obter apoio pluripartidário ao gabinete provisório chefiado por ele.

As negociações começarão na tarde de quinta-feira e devem durar alguns dias. Caso Marini fracasse, o presidente será obrigado a convocar eleições.

Atualmente no segundo cargo mais importante do país, atrás apenas do presidente Giorgio Napolitano, a neutralidade de Marini como presidente do Senado lhe dá uma chance de obter o consenso, embora ele seja do Partido Democrata, o mesmo do demissionário Romano Prodi.

Mas Berlusconi, que recuperou a liderança nas pesquisas de intenção de voto após perder o poder para Prodi em 2006 e sente a chance de um rápido retorno, já adiantou que não pretende "perder tempo". "Diremos a Marini que queremos eleições imediatamente."

A crise política deixa a terceira maior economia da zona do euro sem um governo de credibilidade no mesmo momento de uma desaceleração econômica global. Além disso, a confiança empresarial e do consumidor italiano estão no menor nível em pelo menos dois anos.

Os mercados temem que uma volta de Berlusconi ao governo reverteria os progressos feitos por Prodi em reduzir o déficit público e a dívida do setor público italiano, os maiores da zona do euro.   Continuação...