24 de Setembro de 2008 / às 13:05 / 9 anos atrás

Novo premiê japonês inclui nacionalistas no gabinete

Por Chisa Fujioka

TÓQUIO, 24 de setembro (Reuters) - O novo primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, nomeou na quarta-feira vários políticos nacionalistas para o seu gabinete, incluindo um crítico da China na pasta das Finanças. Um defensor de reformas fiscais foi mantido no importante ministério da Economia.

Aso foi confirmado pela câmara baixa como substituto de Yasuo Fukuda, que abandonou o governo repentinamente neste mês. Espera-se que ele convoque eleições gerais para breve.

Ex-chanceler, fã de mangás (quadrinhos japoneses), propenso a gafes verbais, Aso assume o governo de um país à beira da recessão e ameaçado pelas consequências da crise financeira nos EUA.

“Estou fortemente ciente da ansiedade das pessoas a respeito da economia e sua subsistência, e de sua desconfiança em relação à política”, disse Aso em entrevista coletiva após anunciar a composição do seu gabinete. “É minha missão fazer do Japão um país alegre e forte.”

Apesar de seu passado nacionalista, Aso deve se empenhar para manter as boas relações com a China, mas também fortalecendo os laços com os EUA.

Católico, oriundo de uma família rica, Aso mantém hábitos comuns, que o tornam populares junto à opinião pública.

Analistas prevêem que ele vai tentar aprovar um pacote econômico emergencial e, embalado por uma esperada onda de popularidade, vá convocar eleições antecipadas.

O ex-ministro do Comércio Shoichi Nakagawa, crítico contumaz da China, vai ocupar duas pastas importantes --Finanças e Serviços Financeiros. Kaoru Yosano, um conservador em questões fiscais que chegou a ser cotado para premiê, será mantido no Ministério da Economia.

“Yosano parece permanecer no gabinete, então um certo nível de disciplina fiscal será mantido, mas não se pode evitar a impressão de que as iniciativas reformistas estão se enfraquecendo,” disse o economista Takumi Tsunoda, do Shinkin Central Bank.

Aso reiterou na quarta-feira seu compromisso com a meta de equilibrar o orçamento até 2012, mas acrescentou que a economia piorou desde que tal meta foi adotada.

O senador Hirofumi Nakasone, 62 anos, ex-ministro da Educação e filho do ex-premiê Yasuhiro Nakasone, agora será o chanceler do Japão.

Alguns analistas dizem que Aso montou um gabinete que o mantém em destaque, e que a inclusão de parlamentares direitistas pode preocupar observadores estrangeiros.

Reportagem adicional de Linda Sieg, Yuzo Saeki, Yoko Kubota e Jack Kim

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below