Gafe "imobiliária" de McCain pode irritar eleitores

sexta-feira, 22 de agosto de 2008 19:08 BRT
 

Por Matthew Bigg

ATLANTA (Reuters) - Os eleitores dos EUA engolem o fato de que o candidato republicano a presidente, John McCain, é riquíssimo. Mas não toleram a impressão de que ele não entende as preocupações econômicas da maior parte da população, segundo analistas ouvidos na sexta-feira.

Por isso, dizem eles, o democrata Barack Obama está tratando de explorar a gafe cometida nesta semana por McCain ao admitir numa entrevista que não sabe quantos imóveis possui.

Tanto McCain quanto Obama tentam passar a imagem de que estão mais sintonizados com o eleitorado em questões como desemprego, preço da gasolina e crise hipotecária.

Até agora, Obama é quem estava na defensiva pelas acusações, surgidas ainda durante as primárias, de que ele seria um elitista, alienado das preocupações das pessoas comuns.

"Não é a riqueza [de McCain] em si, porque não nos ressentimos dos ricos, queremos ser um deles", disse Steven Greene, professor de Ciência Política da Universidade do Estado da Carolina do Norte. "A questão é o 'fora de contato'. Queremos presidentes que 'sintam' o que o americano médio está enfrentando".

Na entrevista de quarta-feira ao jornal Politico, McCain pediu a assessores que lhe informassem quantos imóveis possuía. Os assessores contaram "pelo menos" quatro imóveis, mas o blog político Talking Points Memo disse que são entre 8 e 11, dependendo de como se conta. Alguns desses imóveis estariam avaliados em mais de 1 milhão de dólares. A esposa de McCain, Cindy, é herdeira de uma grande distribuidora de cerveja.

Poucas horas depois da entrevista, a campanha de Obama já divulgava um vídeo tratando do assunto. O candidato lembrou que seu rival já havia citado anteriormente que a economia estava "fundamentalmente forte".

"Ele obviamente não tem um sentido muito claro do que os americanos médios estão passando", disse Obama.   Continuação...