Perspectiva econômica deixa eleitorado dos EUA pessimista

terça-feira, 14 de outubro de 2008 09:49 BRT
 

WASHINGTON, 14 de outubro (Reuters) - A maioria dos norte-americanos prevê que a crise econômica ainda vai piorar e duvida que o futuro presidente consiga melhorar a situação, segundo pesquisa USA Today/Gallup divulgada na terça-feira.

Apesar das iniciativas do governo para injetar liquidez no sistema bancário, 84 por cento dos entrevistados acham que a situação ainda irá piorar, e 91 por cento --recorde nesse tipo de pesquisa-- estão insatisfeitos com o rumo dos Estados Unidos.

Metade dos 1.269 adultos entrevistados entre sexta-feira e domingo acha que o democrata Barack Obama tem condições, se for eleito presidente, de resolver a situação, mas 44 por cento duvidam disso.

Com relação ao candidato republicano, John McCain, a desconfiança sobe a 63 por cento, enquanto só 31 por cento confiam na sua capacidade econômica.

Faltam exatamente três semanas para a eleição presidencial, e a economia continua sendo o grande tema da campanha.

McCain deve apresentar novas propostas econômicas na terça-feira, um dia depois de Obama divulgar quatro possíveis medidas para criar empregos e proteger a classe média dos efeitos da crise.

Mas na opinião de 49 por cento, a recuperação ainda vai demorar, se é que os atuais problemas não representam uma mudança permanente na economia. Outros 47 por cento acham que a retração econômica será temporária.

De acordo com a pesquisa, Obama supera McCain por 51 a 44 por cento entre os eleitores registrados. A margem de erro é de três pontos percentuais.

A pesquisa foi feita antes da recuperação das bolsas mundiais registrada na segunda-feira, repercutindo as medidas econômicas anunciadas por vários governos no fim de semana.