Indústria de SP deve crescer 5% em 2008, diz Fiesp

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 13:48 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Em um movimento sazonal, a produção industrial de São Paulo caiu em dezembro, mas encerrou o ano passado com o melhor crescimento desde 2004, estimulada pela performance melhor que a esperada do mercado interno.

A aposta na manutenção desse cenário interno positivo levou a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) a prever para 2008 nova taxa significativa de expansão, mesmo levando em conta um pequeno impacto da turbulência internacional.

A atividade industrial paulista cresceu 6,1 por cento em 2007, o dobro da taxa registrada em 2006, de 3 por cento. O dado superou a previsão da Fiesp de algo em torno de 5 por cento, patamar que é também a previsão para este ano.

"Em 2007, o mercado interno cresceu mais que as previsões, em razão do aumento do emprego e da massa salarial. Houve ainda um aumento do crédito, que chegou ao recorde de 35 por cento do PIB, e a confiança do consumidor na economia, que o leva a consumir mais e estimula a produção", disse Walter Sacca, diretor-adjunto de economia da Fiesp.

"O ano de2008 começa bem... com a indústria investindo e contratando. A atividade (industrial de São Paulo) deve crescer perto do PIB em 2008, em 5 por cento."

CRISE: PERTO, MAS NEM TANTO

Outro índice divulgado pela Fiesp nesta quarta-feira dá suporte a essa visão. Indicador antecedente, o Sensor subiu para 52,2 em janeiro, ante 51,0 em dezembro.

Os componentes de investimento e de emprego atingiram as maiores leituras da série, a 60,3 e 57,2, respectivamente.

Ao comentar esses números, Sacca lembrou ainda que atualmente o Brasil tem mais ferramentas para amenizar o impacto de crises internacionais e descartou um cenário preocupante decorrente dos problemas do setor imobiliário dos Estados Unidos.   Continuação...