Tratado como herói, Bush oferece ajuda contra malária na África

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 17:35 BRT
 

Por Tabassum Zakaria

ARUSHA, Tanzânia, 18 de fevereiro (Reuters) - Recepcionado como herói na Tanzânia, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, anunciou na segunda-feira um plano para distribuir mosquiteiros suficientes para proteger da malária todas as crianças menores de cinco anos no país.

Promovendo uma agenda humanitária que o torna mais popular na África do que na maior parte do resto do mundo, Bush visitou um hospital, uma fábrica de mosquiteiros e uma escola para meninas em Arusha (norte da Tanzânia).

Ele qualificou a luta contra a malária como uma "campanha de compaixão" e anunciou uma parceria com o Banco Mundial para distribuir 5,2 milhões de mosquiteiros (telas para serem usadas sobre camas, tratadas previamente com inseticidas).

"Corta meu coração que criancinhas estejam morrendo desnecessariamente por causa de uma picada de mosquito", disse Bush no domingo.

A malária é, junto com a Aids, um dos grandes dramas da África Sub-Saariana, matando pelo menos 1 milhão de crianças menores de cinco anos a cada ano.

"Durante anos a malária foi uma crise sanitária. A doença mantém trabalhadores doentes em casa, pátios escolares quietos, comunidades de luto", disse Bush em visita ao hospital distrital de Meru.

"O sofrimento causado pela malária é desnecessário, e cada morte provocada pela malária é inaceitável", acrescentou.

Bush prometeu elevar a assistência total de seu país à África para 8,7 bilhões de dólares até 2010, o dobro em relação a 2004.

O presidente está evitando zonas de conflito nesta viagem. Os EUA consideram os presidentes de Benin, Tanzânia, Ruanda, Gana e Libéria como parte de uma nova geração de líderes democráticos africanos, aos quais dá apoio em áreas como educação, saúde e forças armadas.