Equador pode tirar do ar mais emissoras de TV e rádio

quarta-feira, 9 de julho de 2008 19:39 BRT
 

QUITO (Reuters) - O Equador pode tirar do ar centenas de emissoras de rádio e TV por causa de uma investigação sobre supostas irregularidades administrativas, anunciaram autoridades na quarta-feira.

De acordo com o Conselho Nacional de Radiodifusão e Televisão (Conartel), o governo já começou a recuperar as freqüências de 200 rádios, TVs e operadores de canais a cabo, por vários motivos -- entre eles atrasos nos pagamentos de impostos e renovação de contratos sem os requisitos legais ou pareceres técnicos.

Outras 354 emissoras serão investigadas, sendo várias delas controladas por grandes redes nacionais de TV. Na véspera, o governo interditou duas emissoras privadas de TV para cobrir dívidas deixadas por uma falência bancária.

"Iniciou-se o processo de reversão até o momento de 229 frequências de rádio, televisão e operadores de cabo, e estão sendo analisadas nas sessões outras 354 frequências, e o Conselho decidirá", disse o presidente do Conartel, Jorge Yunda.

O presidente do Equador, Rafael Correa, mantém atritos freqüentes com os meios de comunicação, críticos às suas políticas de maior controle do Estado sobre a economia.

Os principais jornais do Equador qualificaram a interdição dos canais TC e Gamavisión como ataques à liberdade de informação. Para o presidente Correa, tratou-se de um gesto de justiça para quem perdeu seus depósitos devido à falência, há dez anos, de um banco controlado pelos mesmos donos dos canais de TV.

(Por Alexandra Valencia)