CONSOLIDA-Sem ACM Neto, PMDB e PT chegam parelhos ao 2o turno

segunda-feira, 6 de outubro de 2008 00:31 BRT
 

SALVADOR, 6 de outubro (Reuters) - Confirmados no segundo turno da disputa pela prefeitura da capital baiana, João Henrique (PMDB) e Walter Pinheiro (PT) atribuíram o resultado à força dos seus partidos e agradeceram líderes das legendas, respectivamente, o ministro peemedebista Gedel Vieira Lima e o atual governador do estado, Jacques Wagner.

Apesar da rivalidade em Salvador com o PT, João Henrique relembrou que também está na base do governo de Luiz Inácio Lula da Silva:

"O PMDB é uma grande família, uma família forte com nove ministérios no governo do presidente Lula."

Pinheiro afirmou que, a partir desta segunda-feira, começará a montar a estratégia do segundo turno, buscando os partidos que compõem a base de sustentação do governo de Jacques Wagner.

"Iniciamos nossa campanha tarde, em 13 de julho, mas fui muito bem recebido pela população, como demonstraram as pesquisas e, agora, as urnas. Esperamos contar com o apoio ainda maior da população no segundo turno ", disse a jornalistas.

Satisfeito com o resultado da eleição, o evangélico João Henrique caracterizou como "justiça divina" sua chegada ao segundo turno. Ele afirmou que buscará agora os eleitores que não votaram nele neste domingo.

"Reconheço que o nosso ingresso no PMDB deu uma guinada e agregou mais qualidade ao governo municipal. Sou muito agradecido ao ministro Gedel Viera Lima e a todos os integrantes do partido", disse o candidato.

No quadro de declínio do "carlismo" na Bahia, desde a eleição do governador Jacques Wagner, em 2006, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), que perdeu a liderança da disputa na reta final e acabou fora do segundo turno, definiu a derrota como "vontade do eleitor".

"Todos os meus compromissos com Salvador estão de pé. Ainda é cedo para falar sobre quem apoiar no segundo turno. Uma coisa quero deixar claro: o DEM não tem interesse em repartição de poder", afirmou ACM Neto em entrevista à rádio Metrópole.

Com 99,97 por cento dos votos apurados, João Henrique teve 30,97 por cento dos votos válidos e Pinheiro, 30,06 por cento. ACM Neto teve 26,68 por cento.

(Reportagem de Augusto Cesar Barrocas, Texto de Mair Pena Neto)