McCain aproveita decisão judicial sobre armas para atacar Obama

sexta-feira, 27 de junho de 2008 06:59 BRT
 

Por Steve Holland

CINCINNATI, Estados Unidos (Reuters) - John McCain, candidato republicano à Casa Branca, acusou na quinta-feira seu rival do Partido Democrata, Barack Obama, de mudar de opinião a respeito da proibição de armas na capital do país e disse que esse comportamento é típico do senador de Illinois.

Uma aliada de Obama respondeu afirmando não ser honesto da parte de McCain fazer essa acusação porque o próprio republicano havia mudado de lado "mais vezes do que uma panqueca".

A Suprema Corte norte-americana resolveu na quinta-feira, por quatro votos contra cinco, que os cidadãos norte-americanos têm o direito de possuir armas, derrubando assim uma lei de controle de armas vigente em Washington.

Em fevereiro, Obama havia dado apoio à proibição de armas na capital norte-americana.

No entanto, depois do anúncio da sentença da Suprema Corte, o democrata afirmou concordar com essa decisão.

"Eu sempre disse acreditar que a Segunda Emenda é um direito individual", afirmou Obama ao canal Fox Business News, referindo-se à emenda constitucional que concede aos norte-americanos o direito de portar armas.

"E essa foi essencialmente a decisão que a Suprema Corte tomou. O órgão também reconheceu que, apesar de todo indivíduo ter o direito de portar armas, esse direito pode ser limitado por leis sensatas e razoáveis de controle de armas", afirmou.

McCain identificou uma mudança de postura da parte de seu adversário nas eleições presidenciais de novembro.   Continuação...