1 de Maio de 2008 / às 16:38 / em 9 anos

AGRISHOW-Grãos impulsionam vendas de máquinas agrícolas

Por Gustavo Nicoletta

RIBEIRÃO PRETO, 1o de maio (Reuters) - O aumento generalizado nos preços dos grãos elevou a demanda por máquinas e tem incrementado as vendas de colheitadeiras e tratores. Já o setor sucroalcooleiro traz algum otimismo para os fabricantes apenas no longo prazo, disseram profissionais que atuam na área e participam da Agrishow, maior exposição agrícola da América Latina.

De acordo com Isomar Martinichen, da Case IH, o mercado de colhedoras e tratores para cana cresceu nos últimos cinco a seis anos e atingiu um patamar quase estável em 2008, devido aos preços abaixo da expectativa para o álcool, que adiaram alguns planos dos produtores para a mecanização das operações.

“(A venda de colhedoras e tratores para cana) deve ter um avanço de 2009 a 2012, crescendo de 10 a 15 por cento no ano que vem”, afirmou, acrescentando que a perspectiva é de manutenção dos preços do etanol no curto prazo.

Para John Herrmann, diretor de marketing da John Deere, os produtores de cana que desejavam mecanizar as lavouras já fizeram as respectivas aquisições neste ano, mas há outros fatores que podem estimular o mercado.

“A colheita manual está mais cara do que a mecanizada ... e a proibição às queimadas também acelera as compras”, avaliou, mencionando a lei paulista que gradualmente está eliminando a queima de canaviais na época da colheita.

A queima é necessária para o corte manual da cana, mas dispensável no corte mecânico.

Herrmann acrescentou ainda que a “febre” para compras de colhedoras de cana já passou.

No caso dos grãos, houve forte recuperação em 2007 e 2008 por conta de uma demanda latente pela renovação da frota de máquinas, adiada por conta do período de preços baixos dos produtos na maior parte de 2005 e 2006, segundo Martinichen.

“A procura é superior a nossa expectativa. O segmento (de máquinas para grãos) deve crescer 20 por cento em 2009”, avaliou.

Segundo Fábio Piltcher, diretor de marketing da Massey Fergusson, o bom momento de vendas é fruto da relação favorável entre os preços dos equipamentos e dos grãos.

“No primeiro trimestre deste ano, tivemos um aumento 115 por cento na venda de colheitadeiras (de grãos ante mesmo período de 2007)”, afirmou.

TRATORES E ESCASSEZ

O segmento de tratores tem sofrido com o aumento dos preços de insumos, notadamente o aço e o petróleo, e passa por problemas ligados à escassez de alguns materiais utilizados na produção, especialmente pneus e peças, segundo fabricantes.

“A demanda mundial para peças está aquecida para tratores. Pneu é uma commodity em falta no mundo”, disse Martinichen, lembrando que o mercado de tratores concorre por algumas matérias-primas com a indústria de automóveis, ônibus e caminhões.

“Os fornecedores de pneus não conseguem nos atender imediatamente algumas vezes e há dificuldade em encontrar inclusive eixos e grandes componentes utilizados nas máquinas”, segundo Orlando Capelossa, diretor comercial da Valtra.

Em relação aos preços do aço, Capelossa afirmou trabalhar com uma previsão de incremento de 38 por cento nos preços, o que levaria a um aumento de 6 a 8 por cento nos custos de produção.

“Mantivemos os preços praticamente estáveis, mas continuando os aumentos, os preços serão reajustados.”

Edição de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below