Presidente mexicano diz que EUA perderam amigos na A. Latina

sábado, 9 de fevereiro de 2008 18:18 BRST
 

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente do México, Felipe Calderón, disse que os Estados Unidos perderam a influência na América Latina e deveriam se aproximar dos amigos que ainda lhes restam.

O México é um aliado tradicional dos Estados Unidos. Ambos países integram o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) ao lado do Canadá, mas o governo mexicano está enfrentando momentos de tensão com seu vizinho, principalmente nos temas de imigração e narcotráfico.

"Está claro para mim que na América Latina --e no mundo-- por alguma razão os Estados Unidos perderam amigos, e me parece que deveriam fazer o possível para se aproximar dos poucos que lhe restam", disse Calderón em entrevista ao jornal norte-americano The New York Times, publicada no sábado.

Na América Latina, a influência do presidente venezuelano, Hugo Chávez, um ferrenho crítico de Bush, vem crescendo nos últimos anos, ao mesmo tempo em que a esquerda ganha terreno na maior parte da América do Sul.

Calderón irá no domingo aos Estados Unidos, em viagem que se concentrará em encontros com a enorme comunidade de imigrantes mexicanos do país, e que não incluem reuniões com o governo ou com o presidente George W. Bush.

Calderón, do conservador Partido Ação Nacional (PAN), disse que há um clima de hostilidade contra os imigrantes, tanto legais quanto ilegais, gerado pelo discurso de alguns políticos.

"Estou muito preocupado, porque isso gerou uma atmosfera cheia de preconceitos, uma atmosfera antiimigrante, com certos temas que são também antimexicanos e não beneficiam a ninguém", afirmou.

É a primeira visita de Calderón aos Estados Unidos desde que assumiu o poder em 1o de dezembro de 2006. No momento, seu governo tenta que o Congresso norte-americano aprove um plano proposto por Bush para ajudar o México a combater os cartéis de narcotráfico.

(Reportagem de Anahí Rama)