Estudantes do Irã chamam presidente de "ditador"

segunda-feira, 8 de outubro de 2007 10:02 BRT
 

Por Edmund Blair

TEERÃ (Reuters) - Gritando "morte ao ditador", mais de 100 estudantes entraram em confronto com policiais e seguidores radicais de Mahmoud Ahmadinejad nesta segunda-feira, na Universidade de Teerã, onde o presidente do Irã discursaria em seguida.

"Presidente revolucionário, nós te apoiamos", reagiam os radicais, empurrando os que manifestavam sua oposição a Ahmadinejad, segundo uma testemunha da Reuters. Enquanto isso, a tropa de choque se aglomerava diante do campus.

O presidente deve discursar no local nesta segunda-feira para marcar o início do ano letivo. Alunos e acadêmicos de mentalidade liberal criticam o presidente pela repressão à dissidência nos campi universitários do país.

O governo insiste que há liberdade de expressão e de oposição construtiva, mas os estudantes dizem que alguns que falaram contra o presidente foram detidos ou barrados em determinados cursos.

Em dezembro, discursando em outro campus, Ahmadinejad enfrentou alunos que tentavam perturbar sua fala soltando rojões e queimando a foto dele. Na ocasião, autoridades disseram que o presidente reagiu calmamente.

Os ataques de Ahmadinejad ao Ocidente e sua agenda populista dividem opiniões no Irã. O discurso na Universidade de Teerã estava marcado para a semana passada, mas foi adiado devido a uma suposta indisposição do presidente.

Enquanto alguns estudantes gritavam pela libertação de seus colegas presos, os simpatizantes de Ahmadinejad bradavam "hipócritas, saiam da universidade" e agitavam cartazes de teor religioso.

Mais de cem alunos, que tentaram deixar o campus para continuar o protesto, tiveram uma rápida briga com a polícia do campus, que tentou contê-los. Eles gritavam que o presidente é "fonte de pressão e discriminação".   Continuação...

 
<p>Estudantes iranianos protestam contra a visita do presidente Mahmoud Ahmadinejad &agrave; Universidade de Teer&atilde;, dia 8 de outubro. Gritando 'morte ao ditador', mais de 100 estudantes entraram em confronto com policiais e seguidores radicais de Mahmoud Ahmadinejad nesta segunda-feira. Photo by Stringer</p>