August 25, 2008 / 6:35 PM / 9 years ago

Hillary pede a simpatizantes que se unam em torno de Obama

4 Min, DE LEITURA

<p>Candidato democrata &agrave; presid&ecirc;ncia do pa&iacute;s, Barack Obama, e senadora Hillary Clinton em evento de campanha em Nova York a 10 de julho. Na segunda-feira, Hillary conclamou seus simpatizantes a unirem-se em torno de Obama e disse que os democratas n&atilde;o podem permitir que as frustra&ccedil;&otilde;es advindas das pr&eacute;vias prejudiquem as chances do candidato. Photo by Mike Segar</p>

Por John Whitesides

DENVER, EUA (Reuters) - Na segunda-feira, Hillary Clinton conclamou seus simpatizantes a unirem-se em torno de Barack Obama e disse que os democratas não podem permitir que as frustrações advindas das prévias do partido prejudiquem as chances do candidato na corrida pela Presidência dos EUA.

Hillary, que perdeu a dura batalha pela vaga do Partido Democrata nas eleições de 4 de novembro, disse que a legenda deveria sair unida e fortalecida da convenção de nomeação que se inicia na segunda-feira --mas reconheceu que isso não seria fácil.

"Somos, no final das contas, todos democratas, ainda que isso leve algum tempo", afirmou a senadora a uma platéia de delegados do Estado de Nova York, pelo qual Hillary elegeu-se. "Não somos um partido da ordem unida. Somos diferentes uns dos outros. Mas não se enganem: somos unidos."

Antes da convenção, os líderes da legenda sublinharam a união partidária na esperança de aplacar uma rebelião vinda dos simpatizantes de Hillary, que reclamam do suposto fato de ela não ter recebido um tratamento justo durante as prévias democratas.

A senadora discursa na noite de terça-feira, em horário nobre, e o marido dela, ex-presidente Bill Clinton, fala na quarta-feira. Ela deve reunir-se com seus delegados na quarta-feira a fim de liberá-los do compromisso de votar nela e a fim de conclamá-los a votar em Obama.

Hillary disse que há muito em jogo nas eleições presidenciais e que o país não poderia arcar com uma vitória do republicano John McCain, o qual, segundo a senadora, seguiria os passos do hoje impopular presidente George W. Bush.

Pesquisas de intenção de voto mostram Obama e McCain disputando a corrida palmo a palmo. Algumas enquetes dizem ainda que um de cada quatro partidários de Hillary não se convenceu a apoiar Obama.

"Eu quero apenas deixar isto totalmente claro: não podemos arcar com mais quatro anos das políticas falidas do presidente Bush", disse. "Estou ansiosa para estar presente na Casa Branca quando o presidente Obama assinar (uma lei que crie) um sistema de saúde barato e de qualidade para todos os norte-americanos."

A batalha das prévias democratas deu-se entre dois pré-candidatos que poderiam se transformar ela na primeira mulher e ele no primeiro negro a ocupar a Presidência dos EUA.

A senadora ridicularizou um anúncio dos republicanos que reproduz parte das críticas que fez a Obama durante aquele embate.

"Eu sou Hillary Clinton e eu não aprovo aquela mensagem", disse, sendo aplaudida de pé por uma platéia nova-iorquina que acenava com cartazes azuis nos quais se lia a seguinte frase: "Hillary fez História."

Segundo a ex-pré-candidata, os democratas são como uma família e a convenção é como uma reunião de família.

"Somos unidos, estamos juntos e somos determinados", afirmou. "Vamos garantir a vitória no dia 4 de novembro. Então, que tenhamos uma grande convenção."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below