Geórgia assina acordo de paz; Ocidente critica Rússia

sexta-feira, 15 de agosto de 2008 15:58 BRT
 

Por David Alexander e Oleg Shchedrov

TBILISI/SOCHI (Reuters) - Os EUA exigiram na sexta-feira, depois de a Geórgia ter assinado um acordo de cessar-fogo, que os soldados russos coloquem fim imediatamente à ocupação de territórios georgianos.

Em Tbilisi, ao lado do presidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, lembrou a invasão soviética da Tchecoslováquia, 40 anos atrás, para impedir a realização de reformas liberalizantes: "As forças russas precisam deixar a Geórgia de uma vez por todas. Não estamos mais em 1968".

Saakashvili disse, após conversar durante cinco horas com Rice, que havia assinado o pacto de trégua negociado pela França em nome da União Européia (UE).

Enquanto os dois se reuniam, um correspondente da Reuters viu uma coluna de 17 veículos blindados de transporte russos locomovendo-se em uma estrada a uma distância de 55 quilômetros da capital georgiana, o ponto mais distante da fronteira que essas forças atingiram até agora. Não se sabe com exatidão ainda qual o motivo da incursão.

Saakashvili, em um pronunciamento acalorado, descreveu os russos como "bárbaros do século 21" e culpou o Ocidente por detonar a crise ao não reagir de maneira firme às manobras militares realizadas anteriormente pela Rússia e ao não permitir, com a rapidez necessária, o ingresso da Geórgia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

"Quem convidou os problemas para entrarem aqui?", perguntou, ao lado de várias bandeiras da Geórgia e dos EUA. "Não apenas as pessoas que fizeram isso, mas as que permitiram que isso ocorresse".

A antiga crise em torno da região georgiana separatista da Ossétia do Sul explodiu na quinta-feira passada quando a Geórgia enviou soldados para lá a fim de tentar retomar o controle sobre esse território, pró-Rússia. O governo russo reagiu lançando uma imensa contra-ofensiva.

Os russos mobilizaram navios, aviões, tanques e soldados contra os georgianos, realizando a maior operação fora de suas fronteiras desde a queda, em 1991, da União Soviética. As forças da Rússia continuam a ocupar parte da Geórgia, apesar de não ocorrerem mais combates.   Continuação...

 
<p>Ge&oacute;rgia assina acordo de paz; Ocidente critica R&uacute;ssia. A secret&aacute;ria de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, e o presidente da Ge&oacute;rgia, Mikheil Saakashvili em pronunciamento em Tbilisi. Os EUA exigiram depois de a Ge&oacute;rgia ter assinado um acordo de cessar-fogo, que os soldados russos coloquem fim imediatamente &agrave; ocupa&ccedil;&atilde;o de territ&oacute;rios georgianos. 15 de agosto. Photo by David Mdzinarishvili</p>