Oposição japonesa pede para líder ficar após pedido de renúncia

segunda-feira, 5 de novembro de 2007 09:49 BRST
 

Por Linda Sieg

TÓQUIO (Reuters) - Integrantes do principal partido de oposição do Japão tentavam nesta segunda-feira persuadir seu líder a ficar em seu cargo, evitando assim sua saída do partido para apoiar o bloco do governo.

Analistas dizem que mesmo se o líder do Partido Democrático, Ichiro Ozawa, renunciar, ele não teria como levar consigo parlamentares suficientes para que o governo retome a maioria no Senado, onde a oposição tem votos suficientes para emperrar decisões.

Ozawa apresentou sua demissão no domingo, depois que seu partido rejeitou uma oferta do primeiro-ministro Yasuo Fukuda para criar uma nova coalizão e acabar com o impasse político.

Surgiram então fortes especulações de que Ozawa poderia dar apoio ou mesmo participar da coalizão governista depois de apresentar sua demissão como líder da oposição.

"Nós decidimos pedir para o presidente Ozawa ficar", disse o secretário-geral do partido, Yukio Hatoyama, a jornalistas após o encontro de emergência da cúpula do Partido Democrático no começo desta segunda-feira.

Hatoyama, que se encontrou com o líder mais tarde, disse que ele agradeceu o pedido para ficar, mas que precisava de mais tempo para pensar sobre sua decisão.

Fukuda disse na sexta-feira ter sugerido uma nova base política para resolver um impasse criado pela vitória da oposição nas eleições de julho para o Senado.

O governo de Fukuda, estabelecido há um mês, não conseguiu aprovar nenhum projeto, inclusive a prorrogação da missão de apoio naval aos EUA no Afeganistão.

REUTERS FE