Socialista milionário não crê em demonização da fortuna

terça-feira, 5 de agosto de 2008 20:33 BRT
 

Por Marcelo Portela

BELO HORIZONTE (Reuters) - Mais rico candidato a prefeito de capital, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o socialista Márcio Lacerda não acredita que sua situação financeira seja problema durante a campanha.

"O Brasil é uma sociedade desigual, mas há uma mudança de cultura. Havia uma demonização do sucesso, mas isso está reduzindo", avalia o candidato do PSB, que tem o apoio de 12 partidos e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), como principais cabos eleitorais.

Em sua declaração de patrimônio encaminhada à Justiça Eleitoral, Márcio Lacerda (PSB) informou possuir 55,5 milhões de reais, bem mais que os 39 milhões de reais declarados por Paulo Maluf (PP), o segundo mais rico, e cinco vezes mais que os 10,4 milhões de reais que constam na declaração de Marta Suplicy (PT), de tradicional família paulista.

"Não posso julgar as declarações de outros candidatos. Cabe à Receita Federal verificar se os patrimônios são verdadeiros", afirma o candidato.

O patrimônio de Lacerda chegou, inclusive, a ser citado por Pedro Paulo (PCO), durante o primeiro debate entre candidatos na capital mineira.

"Juntei meu patrimônio sem nenhum processo ou contestação e agora estou colocando meu tempo à disposição para ajudar as pessoas", diz Lacerda, refutando uma vez mais qualquer prejuízo eleitoral por conta de sua condição financeira.

Lacerda afirma que não se apóia no patrimônio, que consiste principalmente em cotas da empresa Macunaíma Participações Ltda e aplicações financeiras, para concorrer.

PRESO NA DITADURA   Continuação...