Após cinco dias no cargo, vice se queixa de Lugo

quarta-feira, 20 de agosto de 2008 15:55 BRT
 

ASSUNÇÃO, 20 de agosto (Reuters) - O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, no cargo há cinco dias, enfrenta na quarta-feira queixas de seu vice, que se sente excluído do governo.

Federico Franco disse a jornalistas que iria pedir explicações ao presidente pela confirmação, sem seu conhecimento, de um assessor político para negociar com o Congresso.

Um eventual rompimento entre Lugo e Franco colocaria em risco a maioria parlamentar construída pelo novo governo, cuja posse marcou o final de mais de seis décadas de hegemonia do Partido Colorado (conservador). Franco pertence ao Partido Liberal, segunda maior força política do país, atrás dos colorados, agora na oposição.

"O presidente tomou uma decisão excluindo a figura do vice-presidente, cuja única função é ser enlace entre Executivo e Legislativo. Devo dizer que não é do meu agrado e [a situação] faz escasso favor à figura constitucional do vice-presidente", afirmou. "Seguramente vou pedir uma explicação [a Lugo]".

O fato de o Partido Colorado não ter apresentado candidato próprio foi essencial para que Lugo, um ex-bispo ligado à Teologia da Libertação, conseguisse 40 por cento dos votos, garantindo sua eleição - não há segundo turno no Paraguai.

Os primeiros atritos dentro da coalizão ocorreram dias depois da eleição, quando Franco se mostrou irritado pela indicação de adversários internos do seu partido para cargos importantes.

No dia da posse, Franco havia qualificado de "populista" a decisão de Lugo de renunciar ao seu salário de presidente.

Lugo minimiza os atritos com seu vice, mas sempre deixa claro que não se permitirá ser refém político dos liberais.

(Reportegem de Mariel Cristaldo)