Custos elevados reduzem atuação da Petrobras na Venezuela

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 11:34 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os elevados custos de exploração e produção de petróleo do campo venezuelano de Carabobo surpreenderam a Petrobras PETR4.SA, e a participação da estatal na joint-venture com a PDVSA será de no máximo 10 por cento, ante até 40 por cento estimados inicialmente, afirmou o diretor da área internacional da companhia, Nestor Cerveró.

"Hoje, a cem dólares o barril, qualquer coisa é viável. Mas se você tem um portfólio diversificado, vai no menor custo, é claro. É isso que nós estamos fazendo", disse ele a jornalistas na noite quarta-feira.

Segundo o diretor, os custos em Carabobo estão orçados em cerca de 12 bilhões de dólares, quase o dobro do investimento necessário para explorar e produzir petróleo em outras regiões.

"Olhando o portfólio que temos hoje, Carabobo é um custo muito alto e maior que todas as alternativas que nós temos. É mais caro que Nigéria, Angola, Golfo do México e Turquia", afirmou Cerveró.

"Nossa decisão não tem nada ver com política. É uma decisão econômica da Petrobras".

O executivo afirmou que até março do ano que vem a participação da estatal brasileira no campo de Carabobo será definida, mas não está descartada a possibilidade de a empresa desisitr completamente do investimento.

"Nossa opção é investir até 10 por cento, mas pode ser zero, dadas as condições de viabilidade. Só vamos entrar se for interessante. Podemos ficar sem nada", explicou.

O memorando de entendimentos firmado entre Petrobras e a PDVSA previa uma participação da brasileira em Carabobo de 40 por cento, ficando os outros 60 por cento com a estatal venezuelana.   Continuação...