Austrália se prepara para mudanças gradativas sob novo premiê

domingo, 25 de novembro de 2007 12:57 BRST
 

Por James Grubel

SYDNEY (Reuters) - O novo primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, não vai prejudicar os laços fortes de seu país com os Estados Unidos, apesar de sua decisão de retirar as tropas australianas do Iraque e ratificar o Protocolo de Kyoto, disseram analistas no domingo.

Leitor ávido e ex-diplomata de 50 anos, Rudd pôs fim a 11 anos de governo conservador na Austrália no sábado, depois de vencer uma eleição sobre a plataforma da busca de uma nova geração de lideranças.

Embora a campanha eleitoral tenha focado principalmente questões domésticas, Rudd também prometeu a retirada gradativa dos 500 soldados australianos que servem na linha de frente no Iraque e prometeu ratificar o Protocolo de Kyoto sobre as mudanças climáticas, isolando ainda mais o presidente George W. Bush nas duas questões.

O analista Nick Economou, da Universidade Monash, disse à Reuters: "Teremos a chance de sermos vistos novamente como país que é uma força em favor do bem, e não simples lambe-botas dos Estados Unidos".

"O mundo nos verá como país que está retornando à comunidade internacional."

John Howard, o primeiro-ministro conservador em final de mandato, era estreito aliado pessoal e político de Bush, mas foi criticado por muitos na Austrália por ser próximo demais a Washington, tanto que ganhou o apelido de "vice-xerife de Bush".

Howard apoiava plenamente a campanha militar no Iraque, onde a Austrália tem cerca de 1.500 soldados, e uniu-se a Bush na recusa em ratificar o Protocolo de Kyoto. A Austrália e os EUA foram os únicos países desenvolvidos que ficaram de fora do tratado.

Rudd disse no domingo que conversou com Bush e enfatizou sua determinação em manter a aliança militar Austrália-EUA ao centro de sua política externa e estratégica.   Continuação...

 
<p>O novo primeiro-ministro da Austr&aacute;lia, Kevin Rudd, n&atilde;o vai prejudicar os la&ccedil;os fortes de seu pa&iacute;s com os Estados Unidos, apesar de sua decis&atilde;o de retirar as tropas australianas do Iraque e ratificar o Protocolo de Kyoto. Foto em Brisbane, Austr&aacute;lia, 24 de novembro. Photo by Steve Holland</p>