Presidentes do Mercosul iniciam cúpula para ir além da economia

terça-feira, 18 de dezembro de 2007 11:25 BRST
 

Por Lucas Bergman

MONTEVIDÉU (Reuters) - Os presidentes de vários países latino-americanos reuniram-se nesta terça-feira, em Montevidéu, para participar de uma cúpula do Mercosul, diante de uma agenda marcada por conflitos políticos -- como a crise na Bolívia -- e que deixa pouco espaço para avanços rumo a uma maior integração econômica.

O maior sucesso a ser mostrado pelos membros plenos do bloco, do qual participam o Brasil, a Argentina, o Uruguai e o Paraguai, é o acordo de livre comércio firmado com Israel na manhã desta terça-feira, o primeiro do Mercosul com um país de fora da América Latina.

Mas não se discutirão na cúpula os eternos conflitos comerciais entre as maiores economias do bloco -- a brasileira e a argentina -- e as menores -- a uruguaia e a paraguaia.

"Somos uma região relativamente jovem. Temos futuro e acredito que a integração é uma das chaves do nosso futuro como região", afirmou em um discurso o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, quando abriu o encontro dos presidentes.

O Mercosul espera ansiosamente que os Congressos do Brasil e do Paraguai ratifiquem o ingresso, como membro pleno do bloco, da Venezuela, um país considerado fundamental para a integração regional em termos energéticos devido a suas enormes reservas de petróleo e gás natural.

"Nós já nos consideramos do Mercosul, apesar de ainda faltar esse ato legislativo de dois dos países fundadores", afirmou o presidente venezuelano, Hugo Chávez, quando chegou a Montevidéu, na madrugada de segunda para terça-feira.

No Brasil, congressistas da oposição ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva resistem ao ingresso da Venezuela devido à chamada revolução socialista defendida por Chávez.

OUTROS PARTICIPANTES   Continuação...

 
<p>(Da esquerda para a direita): Os presidentes do Chile, Michelle Bachelet, Paraguai, Nicanor Frutos, Uruguai, Tabar&eacute; Vazquez, Argentina, Cristina Kirchner, Brasil, Luiz In&aacute;cio Lula da Silva, Venezuela, Hugo Ch&aacute;vez e Bol&iacute;via, Evo Morales, posam antes da c&uacute;pula do Mercosul, no Uruguai. Photo by Reuters</p>