Conselhos de Bovespa e BM&F aprovam integração das bolsas

terça-feira, 25 de março de 2008 22:31 BRT
 

Por Daniela Machado

SÃO PAULO (Reuters) - A integração de Bovespa e Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) recebeu nesta terça-feira o aval de seus conselhos de administração, num passo decisivo para a formação de uma das cinco maiores bolsas do mundo --chamada provisoriamente de Nova Bolsa.

O acordo será agora proposto à assembléia de acionistas das duas instituições. Para viabilizar a união, será feita uma reorganização societária que resultará na emissão de ações ordinárias da Nova Bolsa para os acionistas da BM&F e da Bovespa Holding, na proporção de 50 por cento para cada companhia.

"Adicionalmente, os acionistas da Bovespa Holding receberão pagamento de 1,24 bilhão de reais", informaram as instituições em comunicado.

A estimativa preliminar é de que a reorganização societária poderá, até 2010, "atingir um potencial de economia de até 25 por cento das despesas operacionais anuais" em função de sinergias.

Uma fonte próxima às negociações já havia adiantado à Reuters na segunda-feira que o acordo estava prestes a ser apresentado aos acionistas. Entre analistas, a avaliação do negócio é positiva e vista como um fator que pode dar força para o Brasil liderar um processo de consolidação das bolsas na América Latina.

Os conselhos de administração das duas bolsas decidiram também formar um comitê de transição, do qual farão parte os respectivos presidentes e diretores gerais das companhias, e que funcionará até 31 de dezembro.

Caberá a esse comitê indicar, em até 60 dias após a aprovação do negócio pelas assembléias gerais, o novo presidente do conselho e o novo diretor-geral para eleição pelo conselho de administração da Nova Bolsa.

A transação também será submetida aos órgãos reguladores como Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Banco Central, além do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).