Sri Lanka aumenta segurança, rebeldes lamentam morte de líder

sábado, 3 de novembro de 2007 16:34 BRST
 

Por Ranga Sirilal

COLOMBO (Reuters) - O Exército do Sri Lanka aumentou no sábado a segurança na capital, Colombo, em meio a temores de que os rebeldes do grupo Tigres Tâmeis possam realizar represálias pela morte de um líder político em ataques aéreos ocorridos na sexta-feira.

O grupo Tigres de Libertação do Tâmil Eelam declarou três dias de luto pela morte de S.P. Thamilselvan, porta-voz internacional e principal interlocutor dos rebeldes separatistas.

Sua morte, segundo analistas, representa um profundo retrocesso para as esperanças de reativar as negociações de paz em um futuro próximo.

"Temos de tomar precauções extraordinárias", disse o porta-voz do Exército, brigadeiro Udaya Nanayakkara.

Jornalistas da Reuters viram equipes de segurança instalando postos de segurança improvisados em Colombo. A cidade já está repleta de barricadas de sacos de areia e bloqueios de ruas, em um momento em que se escreve um novo capítulo da guerra civil de duas décadas.

O ministro da Defesa, Gotabaya Rajapaksa, irmão da presidente, Mahinda Rajapaksa, mostrou-se satisfeito na sexta-feira com a morte de Thamilselvan, e declarou que o Exército deveria eliminar todos os líderes dos Tigres Tâmeis um por um.

Analistas afirmaram que a morte de Thamilselvan, que liderou a delegação rebelde durante a mais recente rodada de conversações de paz com o governo, no final de 2006, afastou as perspectivas para o fim de uma guerra que já matou cerca de 5.000 desde o início do ano passado e cerca de 70 mil pessoas desde 1983.