12 de Março de 2008 / às 12:06 / 10 anos atrás

Hamas anuncia condições para assinar trégua com Israel

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA (Reuters) - O Hamas divulgou na quarta-feira suas condições para selar um cessar-fogo com Israel, exigindo o fim das operações militares israelenses nos territórios palestinos e a reabertura dos postos de fronteira da Faixa de Gaza.

O Egito vem tentando mediar um acordo de trégua que também incluiria o fim dos ataques com foguetes realizados desde a Faixa de Gaza contra Israel por militantes do Hamas e de um outro grupo palestino, a Jihad Islâmica.

“Israel precisa comprometer-se a deixar de lado todos os tipos de agressão contra o nosso povo, ou seja, os assassinatos, as mortes e as operações militares, e precisa levantar o bloqueio (à Faixa de Gaza) e reabrir os postos de fronteira”, disse em um discurso Ismail Haniyeh, líder do Hamas na Faixa de Gaza.

Um acordo de cessar-fogo, segundo Haniyeh, deveria ser “recíproco, amplo e simultâneo” e deveria vigorar tanto na Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, quanto na Cisjordânia.

“Nós não abandonaremos vocês, nosso povo na Cisjordânia”, afirmou Haniyeh. “Qualquer ato de agressão contra vocês é um ato de agressão contra nós.”

Israel ainda não se manifestou a respeito das declarações do líder do Hamas.

Haniyeh pronunciou esse discurso horas depois de soldados israelenses terem matado um militante da Jihad Islâmica na Cisjordânia ocupada, um incidente que, segundo uma autoridade do Hamas, mostra que Israel “não está interessado em uma situação de calmaria”.

Uma trégua poderia ser fundamental para o sucesso das negociações de paz patrocinadas pelos EUA e realizadas entre Israel e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, cujo grupo Fatah perdeu o controle da Faixa de Gaza para os combatentes do Hamas em junho passado.

O número de ataques com foguetes realizados desde a Faixa de Gaza diminuiu agudamente desde que Israel colocou fim a uma ofensiva no território nove dias atrás, após matar 120 palestinos, cerca de metade deles identificados como civis.

O Egito intensificou seus esforços para obter um cessar-fogo --em meio à insistência de líderes israelenses sobre não estarem negociando com o Hamas, grupo que ignora os apelos do Ocidente para que reconheça Israel e renuncie ao uso da violência.

Depois da tomada de poder pelo grupo islâmico, o governo israelense ampliou as restrições que impõe na fronteira da Faixa de Gaza, uma manobra que, segundo os palestinos, transformou o território em uma imensa prisão.

Um acordo para reabrir os postos de fronteira poderia incluir uma troca de prisioneiros envolvendo palestinos mantidos nas penitenciárias de Israel e um soldado israelense capturado por militantes da Faixa de Gaza em 2006.

Reportagem de Nidal al-Mughrabi

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below