Chrysler e GM discutem possível fusão, segundo fontes

sábado, 11 de outubro de 2008 19:20 BRT
 

Por Kevin Krolicki e Jui Chakravorty Das

DETROIT/NOVA YORK, 11 de outubro (Reuters) - A Chrysler LLC discutiu com a General Motors Corp um possível acordo de fusão da primeira e terceira maior montadoras americanas, num momento em que ambas lutam para reduzir custos e poupar dinheiro, informaram três pessoas próximas ao assunto.

As conversações entre a dona principal da Chrysler, a Cerberus Capital Management LP, e a GM começaram algumas semanas atrás e foram iniciadas pelo fundo de private equity, segundo as fontes, que falaram sob a condição de conservar seu anonimato.

Mas, segundo duas das fontes, as negociações atolaram em torno de como avaliar as operações deficitárias de produção de veículos da Chrysler, que incluem as marcas Chrysler, Dodge e Jeep.

A Cerberus tinha proposto uma troca com a GM pela qual a firma de private equity ficaria com a parcela de 49 por cento da empresa financeira da GM, GMAC, que ela ainda não controla. Em troca, a Cerberus entregaria à GM os negócios automotivos da Chrysler.

Mas a GM rejeitou a oferta por considerar que estaria pagando demais pela Chrysler, num momento de queda das vendas de automóveis em todo o mundo. O negócio proposto também significaria que a GM teria que encarar o desafio de cortar as sobreposições de marcas, revendedoras, fábricas e operários sindicalizados, segundo uma das fontes.

A Cerberus comprou da Daimler AG uma participação de 80,1 por cento da Chrysler em 2007, por 7,4 bilhões de dólares. Ela tinha pago o mesmo montante em cash à GM em 2006 por uma participação de 51 por cento na GMAC.

Em seus esforços para vender toda ou parte da Chrysler, a Cerberus contatou outras empresas, mas sem resultado, segundo as três fontes. Essas empresas incluíram a Renault-Nissan, a italiana Fiat, a indiana Tata Motors Ltd e a canadense Magna International.

A Cerberus também manteve conversações com várias montadoras chinesas, incluindo a Chery Automobile, a Faw Car e a SAIC Motor, sobre acesso a sua rede de revendedoras nos EUA, disseram duas das fontes.

As negociações entre GM e Chrysler acontecem ao mesmo tempo que a Ford, a outra grande montadora americana a enfrentar dificuldades, planeja vender a maior parte ou toda sua participação de 1,4 bilhão de dólares na japonesa Mazda Motors Co., segundo uma pessoa informada sobre o plano.