Apple e China Mobile suspendem negociação sobre iPhone

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008 11:47 BRST
 

Por Vinicy Chan

HONG KONG (Reuters) - A Apple e a China Mobile suspenderam as negociações quanto ao lançamento dos populares iPhones do grupo norte-americano na China, contrariando as expectativas dos investidores quanto a ver o celular no varejo chinês em breve e causando queda nas ações da China Mobile.

Os investidores estavam animados com a possibilidade de que a Apple conquistasse acesso aos 350 milhões de assinantes da China Mobile --mais que a população dos Estados Unidos--, e notícias de negociações sobre o possível lançamento do aparelho no maior mercado mundial de telecomunicações ajudaram as ações da Apple a subir em mais de 10 por cento em 13 de novembro.

As ações da China Mobile, a maior operadora mundial de telefonia móvel, caíram em quase três por cento depois do anúncio da segunda-feira, para 130 dólares de Hong Kong.

Os analistas esperavam que as negociações fracassassem, pelo menos em uma primeira tentativa, e previram que as duas partes encontrariam dificuldade para definir como dividir a receita gerada pelos iPhones, e quanto a diversas outras dificuldades técnicas.

"Não é surpresa. A China Mobile não quer dividir com ninguém a receita gerada por serviços que não os de telefonia de voz", disse Duncan Clark, presidente do conselho da BDA China, uma consultoria de pesquisa de telecomunicações sediada em Pequim. "As duas empresas têm egos muito fortes e, como em qualquer relacionamento, isso freqüentemente não funciona."

O iPhone, um celular que permite acesso à Internet e executa arquivos de música, é vendido por cerca de 500 dólares nos Estados Unidos, duas vezes mais que o valor do salário médio na China.

Especialistas disseram no ano passado que o iPhone teria de superar diversas questões técnicas, de conteúdo e de tarifação específicas da China, e que a norma da Apple quanto à divisão das receitas geradas pelo uso do aparelho entre a operadora de telefonia móvel e a fabricante não seria apreciada pela China Mobile.

O iPhone, um dos produtos mais vendidos no setor de eletrônicos norte-americano e europeu em 2007, pode ser incompatível com a China devido ao seu chip SIM "bloqueado", o que significa que o aparelho não pode ser usado nas redes de outras operadoras de telefonia móvel.