Lula admite inauguração de universidade inacabada

sexta-feira, 29 de agosto de 2008 19:42 BRT
 

SANTO ANDRÉ (Reuters) - Após denúncias publicadas pela imprensa, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu que estava inaugurando nesta sexta-feira, parcialmente, uma universidade federal no ABC paulista. Ele também anunciou que vai entregar para seu sucessor o registro em cartório das obras produzidas em seu governo.

"Estou feliz, estou inaugurando a universidade inacabada do ABC, em seu bloco B, que é o que eu vim (fazer) hoje. No ano que vem eu venho (para inaugurar o restante)", disse Lula em discurso na Universidade Federal do ABC (UFABC), em Santo André.

Além do bloco inaugurado, já estão sendo construídos outros 6 blocos que ficarão prontos em 2009, e cujo funcionamento vai ser iniciado em 2010. O custo total, segundo a Presidência, é de 220 milhões de reais.

O bloco inaugurado já funciona desde maio com 2.000 alunos em 18 cursos. Para 2010, está previsto um total de 10.000 alunos.

Entre os presentes, estava o ex-deputado Professor Luizinho (PT), candidato a vereador por Santo André e um dos 40 acusados no processo do mensalão. Ele foi citado por Lula e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), como um dos principais incentivadores da universidade.

Lula também criticou seus antecessores por falta de investimentos em escolas públicas. "Se os presidentes tivessem investido em universidade pública, metade dos alunos estaria na universidade pública", disse.

Ainda no discurso, o presidente afirmou que pretende registrar suas realizações para que sirvam de incentivo ao próximo governante. "Já tomei uma decisão na minha vida. Quando eu deixar o meu mandato, cada ministro meu vai ter que ir ao cartório no dia 30 de dezembro (de 2010) e nós vamos registrar cada coisa que cada ministro fez."

"A partir do meu governo, qualquer presidente que entrar vai receber das minhas mãos todos os documentos registrados em cartório. No mínimo ele vai dizer: eu tenho que fazer mais, eu não posso perder para o Lula."

Como vem fazendo em eventos públicos, Lula voltou a afirmar que parte dos recursos obtidos com a extração de petróleo da camada pré-sal será usada para resolver a dívida educacional e outra parte para solucionar a "pobreza crônica que foi criada durante tantos e tantos séculos."   Continuação...