Enfraquecida, tempestade Noel leva chuvas a Cuba

terça-feira, 30 de outubro de 2007 21:31 BRST
 

Por Anthony Boadle

HAVANA (Reuters) - A tempestade tropical Noel perdeu força na terça-feira ao atravessar Cuba, mas ainda assim provocou chuvas torrenciais em áreas já encharcadas da ilha, depois de matar pelo menos 18 pessoas devido a inundações e deslizamentos na República Dominicana e no Haiti.

As chuvas neste outubro equivalem ao dobro do normal e já ameaçam transbordar os reservatórios do leste de Cuba, com risco de inundações. Não há relatos imediatos de danos ou vítimas.

"Há muita chuva, mas nada de ventos realmente fortes, como num furacão", disse Chantal Rivas, que aluga quartos para hóspedes na cidade portuária de Gibara, 750 quilômetros a leste de Havana.

Ao passar pela costa norte do país, a tempestade derrubou árvores no litoral da vizinha Camaguey, segundo o recepcionista de um hotel balneário. Os meteorologistas alertam para ondas fortes.

Cuba retirou cerca de 10 mil pessoas de áreas do interior ameaçadas por enchentes, transbordamentos de rios ou deslizamentos de terras. Turistas em balneários litorâneos não foram afetados.

A extração de níquel, importante atividade exportadora localizada em Moa, não foi atingida pela tempestade, que avançou mais na direção do interior do que se previa. Uma fonte do setor de níquel disse que fazia sol na terça-feira em Moa.

Nas montanhas da província de Holguín, perto dali, mais de 3.000 estudantes que participavam da colheita de café foram mandados para suas casas. Milhares de cabeças de gado foram levadas para lugares altos em Camaguey, principal centro pecuarista da ilha.

Na base naval de Guantánamo, encravada no sudeste do país, militares norte-americanos empilhavam sacos de areia em torno de prédios nas áreas mais baixas, mas afirmaram que não havia planos de retirada do local, onde há 330 presos suspeitos de ligação com a Al Qaeda.   Continuação...