Bush apóia reconstrução da Libéria ao final de viagem à África

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 17:01 BRT
 

Por Tabassum Zakaria e Deborah Charles

MONRÓVIA (Reuters) - O presidente George W. Bush prometeu firme apoio dos Estados Unidos à reconstrução da Libéria, onde encerrou na quinta-feira sua visita à África, encontrando uma sólida aliada do seu país.

Bush fez elogios à presidente Ellen Johnson-Sirleaf, uma economista formada em Harvard e que se tornou em 2006 a primeira mulher eleita para governar um país africano.

A Libéria é a mais antiga república da África, fundada em 1847 por escravos libertos da América do Norte, mas viveu uma violenta guerra civil que matou 200 mil pessoas entre 1989 e 2003.

Bush qualificou como "muito produtiva" a visita ao continente mais pobre do mundo, que incluiu também Benin, Ruanda, Tanzânia e Gana, com especial ênfase no contato com projetos patrocinados pelos EUA nos setores de saúde, educação e administração pública.

Depois de ser saudado por uma multidão empolgada que lotou as ruas da dilapidada capital, Monróvia, Bush prometeu ajuda norte-americana para curar as feridas sociais e econômicas da guerra. "Os Estados Unidos ficarão com vocês enquanto reconstroem seu país", disse ele antes de assistir ao desfile de soldados locais treinados pelos EUA.

Fazia três décadas que um presidente norte-americano não ia à Libéria, no oeste da África. Bush foi aplaudido ao anunciar a doação de 1 milhão de livros didáticos e de carteiras escolares para 10 mil crianças do pequeno país.

"Com a ajuda da Missão das Nações Unidas na Libéria, estamos trabalhando para curar as feridas da guerra, fortalecer a democracia e construir novas Forças Armadas", declarou em discurso.

Ainda há 10 mil soldados sob comando da ONU na Libéria, e desde 2003 os EUA gastaram 139 milhões de dólares no treinamento das forças locais.   Continuação...