Aécio admite possibilidade de segundo turno em Belo Horizonte

sexta-feira, 3 de outubro de 2008 18:11 BRT
 

BELO HORIZONTE, 3 de outubro (Reuters) - O governador Aécio Neves (PSDB), principal cabo eleitoral do candidato do PSB à prefeitura de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), admitiu nesta sexta-feira a possibilidade das eleições na cidade não serem decididas no primeiro turno.

Apesar de Lacerda aparecer isolado nas pesquisas de intenção de voto, o candidato Leonardo Quintão (PMDB) subiu muito nas útimas sondagens e ganhou a chance de alcançar a segunda etapa da eleição.

"Quando você disputa uma eleição de dois turnos, você sempre quer ganhar no primeiro, mas tem de estar sempre preparado para o segundo turno. Uma campanha, quando começa, a primeira obrigação é colocar o seu candidato no segundo turno", disse o governador ao participar de carreata com Lacerda nesta sexta-feira.

"Temos de nos preocupar em vencer as eleições. Se possível no domingo, se não, no segundo turno. Isso para mim é absolutamente indiferente", acrescentou Aécio.

Já Márcio Lacerda, sugeriu que os candidatos de esquerda deveriam se unir para evitar que alguém da "velha política" se beneficie.

"Eu gostaria que os campos da esquerda, da centro-esquerda, da social-democracia compreendessem, ainda no primeiro turno, que nós não podemos correr o risco de ter um retrocesso na gestão de centro-esquerda apoiada pelo povo de Belo Horizonte", conclamou Lacerda.

O candidato tenta estancar os ataques que sofre, principalmente por parte dos adversários Jô Moraes (PCdoB) e Sérgio Miranda (PDT), respectivamente terceira e quarto colocados nas pesquisas. Durante debate na noite de quinta-feira, os dois concentraram as críticas em Lacerda e na aliança entre o governador e o prefeito Fernando Pimentel (PT) em torno de sua candidatura.

Jô Moraes, inclusive, foi responsável pela ação que levou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a proibir a participação de Aécio nos programas eleitorais de Lacerda.

"Decisão judicial não se comenta. A campanha de Márcio foi exemplar em todos os aspectos, mas alguns preferiram fazer a campanha nos tribunais", criticou Aécio.

(Reportagem de Marcelo Portela, Edição de Mair Pena Neto)