Papa acelera canonização de freira que teve visão em Fátima

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 19:53 BRST
 

CIDADE DO VATICANO, 13 de fevereiro (Reuters) - O Vaticano anunciou na quarta-feira que o papa Bento 16 decidiu acelerar o processo de canonização da freira portuguesa Lúcia dos Santos, uma das três crianças que afirmavam ter visto Nossa Senhora em 1917 na localidade de Fátima. Ela morreu em 2005, aos 97 anos.

O papa, segundo o comunicado, abriu uma exceção na regra eclesiástica que impõe um período de cinco anos após a morte do candidato a santo para que o processo de canonização seja aberto.

O anúncio confirma a notícia que fora dada pelo cardeal José Saraiva Martins aos fiéis durante cerimônia pelo terceiro aniversário da morte dela, em Coimbra, onde irmã Lúcia passou a maior parte da vida depois de virar freira.

O falecido João Paulo 2o havia permitido uma exceção semelhante para abrir o processo de canonização da madre Teresa de Calcutá, menos de dois anos depois da morte dela, ocorrida em 1997.

Bento 16 também já havia decidido acelerar o processo de canonização do seu antecessor, aberto pela diocese de Roma apenas seis semanas depois da morte de João Paulo 2o, em 2005.

Lúcia foi a última das três crianças visionárias a morrer --as outras duas faleceram ainda jovens, em 1919 e 1920, e foram beatificadas em 2000 por João Paulo 2o, no que é a última etapa antes da canonização.

As crianças diziam que a Virgem lhes apareceu seis vezes. Testemunhas dizem que, na última delas, 50 mil pessoas viram cores e luzes no céu de Fátima.

Segundo Lúcia, numa das visões ela soube que João Paulo 2o sofreria um atentado em 13 de maio de 1981. O falecido pontífice colocou uma das balas que quase o mataram na coroa da imagem de Fátima.