Sem Marta e Alckmin, Kassab é poupado no primeiro debate em SP

quinta-feira, 17 de julho de 2008 19:00 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), foi poupado no primeiro debate entre os candidatos à prefeitura de São Paulo em que os líderes nas pesquisas -- Marta Suplicy (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) -- faltaram.

O debate foi realizado nesta quinta-feira pelo portal IG e pôde ser acompanhado ao vivo pelos internautas diretamente no site. Além de Kassab, participaram Paulo Maluf (PP), Soninha Francine (PPS), Ivan Valente (PSOL), Ciro Moura (PTC) e Levy Fidelix (PRTB).

"Saio feliz no momento em que todos os candidatos tiveram algum denominador comum com a nossa administração, mostrando que estamos no caminho certo", disse Kassab a jornalistas ao final do debate de quase duas horas.

Maluf, que aparece empatado com Kassab em pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira, com 11 por cento das intenções de voto, afirmou que a administração do funcionalismo está correta. "A população e o funcionalismo estão bem servidos porque não há greves", disse.

O projeto Cidade Limpa, de combate à poluição visual, foi aplaudido por Ciro Moura, para quem "a população de São Paulo aprovou". Soninha considerou positiva a programação do Virada Cultural, série de eventos de entretenimento que acontece em um fim de semana, mas cobrou espaços para que a população se exercite nas diversas áreas culturais.

A situação era tão favorável ao prefeito que, pegando uma deixa de Ciro Moura, Kassab chegou a dizer que "ele levantou a bola e vou chutar", enumerando as ações da prefeitura na área da educação.

As soluções para o trânsito, uma das principais preocupações dos paulistanos, foram discutidas, porém com poucas indicações concretas. Exemplo desta postura foi a menção ao uso da bicicleta e a necessidade de ciclovias, enquanto Maluf defendeu a construção de uma "freeway" (via de alta velocidade) sobre os rios Tietê e Pinheiros. Os leitos seriam concretados para a passagem de veículos. Segundo ele, a velocidade máxima seria de 90 quilômetros por hora.

Nenhum dos candidatos aproveitou o tema para questionar a iniciativa de Kassab desta quinta-feira de ampliar o uso do Bilhete Único nos ônibus, a menos de três meses da eleição. Com uma única passagem de 2,30 reais, o usuário poderá usufruir de três horas de ônibus, frente as duas atuais. A elevação valerá a partir de 28 de julho.

"Todos sabem que não é eleitoreiro", disse Kassab a jornalistas, para quem a medida será possível com a economia originária da fiscalização do uso do bilhete e do combate às fraudes.   Continuação...