Secretário-geral da ONU diz que aquecimento global é emergência

sábado, 10 de novembro de 2007 11:02 BRST
 

Por Juan Jose Lagorio

BASE EDUARDO FREI, Antártica (Reuters) - Com a camada de gelo pré-histórica da Antártica derretendo sob seus pés, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu ações políticas urgentes para fazer frente ao aquecimento global.

A Antártica vem se aquecendo mais rapidamente que qualquer outro lugar da Terra nos últimos 50 anos, fazendo dela um destino apropriado para Ban, que, desde que assumiu a direção da ONU este ano, vem fazendo das mudanças climáticas uma de suas prioridades.

"Preciso de uma resposta política. Esta é uma emergência, e para situações de emergência precisamos de ações de emergência", disse Ban durante a visita que fez na sexta-feira a três bases científicas no continente gelado, onde as temperaturas estão no nível mais alto em cerca de 1.800 anos.

Os lençóis de gelo da Antártica têm em média quase 2,5 quilômetros de espessura -- cinco vezes a altura da torre Taipei 101, o edifício mais alto do mundo. Mas cientistas dizem que já estão mostrando sinais da ação das mudanças climáticas.

Imagens de satélite mostram que a camada de gelo da Antártica ocidental está ficando mais fina e pode até desabar no futuro, provocando o aumento do nível do mar.

Num avião leve, Ban sobrevoou lençóis de gelo, vendo imensos blocos de gelo do tamanho de prédios de seis andares se afastando da costa, depois de terem quebrado e se separado da calota gelada.

"Tudo o que vimos é muito impressionante e extraordinariamente belo", disse Ban a jornalistas. "Mas, ao mesmo tempo, é perturbador. Vimos o derretimento de geleiras."

Foi a primeira visita feita por um chefe da ONU à Antártica.   Continuação...

 
<p>Secret&aacute;rio-geral da ONU diz que aquecimento global &eacute; emerg&ecirc;ncia. Com a camada de gelo pr&eacute;-hist&oacute;rica da Ant&aacute;rtica derretendo sob seus p&eacute;s, o secret&aacute;rio-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu a&ccedil;&otilde;es pol&iacute;ticas urgentes para fazer frente ao aquecimento global. 8 de novembro. Photo by Ivan Alvarado</p>