Iraque critica incursão da Turquia e exige retirada imediata

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008 17:05 BRT
 

Por Mariam Karouny

BAGDÁ (Reuters) - O Iraque condenou na terça-feira a incursão da Turquia no norte de seu território para enfrentar guerrilheiros curdos e exigiu o fim imediato do que descreveu como uma violação de sua soberania.

Milhares de soldados turcos cruzaram a fronteira na quinta-feira passada a fim de perseguirem os combatentes do grupo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) que usam a região de montanha do norte iraquiano como base para sua luta em nome da criação de um Estado curdo no sudeste da Turquia, onde são maioria.

"O gabinete de governo manifesta sua rejeição e condenação quanto à interferência militar turca, que é considerada uma violação da soberania do Iraque", afirmou o governo iraquiano em um comunicado divulgado por Ali al-Dabbagh, porta-voz dele.

"O gabinete de governo ressalta que a ação militar unilateral é inaceitável e ameaça as boas relações existentes entre os dois vizinhos."

Dabbagh havia dito antes que um enviado turco se reuniria com o presidente iraquiano, Jalal Talabani, que é curdo, e com líderes do governo, entre os quais o ministro iraquiano das Relações Exteriores, Hoshiyar Zebari, em Bagdá, na quarta-feira.

Soldados turcos, com o apoio de aviões, helicópteros de ataque e peças de artilharia, enfrentam as guerrilhas curdas enquanto avançam pelas bases do PKK.

"A Turquia trava uma luta legítima contra uma organização terrorista que vem desafiando a paz e a segurança da Turquia", afirmou o primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, no Parlamento.

O Estado-Maior da Turquia disse na terça-feira que mais dois soldados turcos tinham sido mortos, elevando o total para 19. O órgão afirma que ao menos 153 combatentes do PKK já perderam suas vidas. O PKK diz ter matado 81 militares curdos.   Continuação...